Estoque de doação sanguínea no Amazonas está abaixo do recomendado pela OMS

Por Amanda Guimarães


Manaus – Em média, 1,54% da população Amazonas doa sangue atualmente. Os números ficam abaixo da média internacional da Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de 5%, estipulado caso ocorra catástrofes. As informações são da médica chefe do Departamento do Ciclo de Sangue da Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam), Socorro Viga Yurtsever. Segundo ela, no Estado, existem, aproximadamente, 451. 051 doadores registrados.

Mesmo considerando os dados negativos, a coordenadora do departamento informou que os números ainda conseguem atender a demanda dos pacientes do Estado. De acordo com ela, durante os primeiros cinco meses de 2016 foram coletados cerca de 25.643 bolsas de sangue, beneficiando 76. 929 mil pessoas.

“Pela Organização Mundial de Saúde, doadores devem ser 5% da população, para manter o estoque de sangue. Os números do Amazonas chegam apenas a 1,54%. Apenas países como Japão e Estados Unidos atendem esse critério, pois eles defendem que, se caso aconteça alguma catástrofe, esta quantidade será suficiente. No entanto, com esses números temos atendido a demanda dos pacientes do Amazonas, mas ainda encontramos dificuldade de encontrar algum tipos de sangue, aqueles de Rh negativo, por exemplo”, destacou Socorro.

Por dia, segundo Socorro, uma média de 200 pessoas se inscrevem para doar sangue, mas 40% não consegue passar pelo critérios impostos pelo Hemoam. Segundo o órgão, qualquer pessoa com saúde pode doar, mas quem teve hepatite depois dos dez anos de idade; se possui comportamento sexual de risco; usa drogas; teve malária, recebeu transfusão sanguínea ou teve doenças sexualmente transmissíveis nos últimos 12 meses; teve febre nos últimos trinta dias, não pode realizar a doação.

“Hoje a população está mais sensibilizada para doar sangue. Toda vez que convocamos as pessoas, elas se mostram muito interessadas com a causa, pois cada bolsa doada vai ajudar quatro pessoas, para qualquer tipo de doença”, informou a médica.

No Amazonas, entre os seis primeiros meses de 2015, o mês de fevereiro teve o maior índice, chegando a   5.854. bolsas de sangue.

“A média vem sendo mantida, porque, na realidade, teve aumento 26,2%, de 2010 até 2015, no número de doações. A população está mais sensibilizada. A média é que esses números aumentem 5% ao ano, porque temos dois tipos de coleta. Um que é feita de maneira externa, nas universidades ou instituições públicas. A outra é feita conosco, quando a pessoa vem aqui e mostra o interesse de doar”, explicou Socorro.

As coletas de sangue são feitas em Manaus, no Hemoam e na Maternidade Ana Braga. Já nos municípios de Coari, Humaitá, Itacoatiara, Manacapuru, Parintins, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga e Tefé as atividades são feitas em Hemonúcleos.

“Esses meios coletam o sangue nos municípios, manda a amostra do sangue para o Hemoam e, após a gente enviar o resultado, as bolsas são liberadas. Os hemonúcleos atendem as comunidades mais próximas deles, que tem rede hospitalar, por exemplo”, destacou.

Ainda segundo Socorro, o sexo que mais doa no Amazonas é o masculino. Já a faixa etária que mais realiza as ações fica entre 18 e 39 anos. “Não existe motivo específico de homem doar mais, muitas das vezes é porque a mulher tem mais anemia. Elas fazem mais dieta e possuem o hematópico mais baixo”, explicou.

O vendedor Raimundo Daumassio, 25, contou como começou a doar sangue no Hemoam. Segundo ele, o sentimento é de felicidade por contribuir com a saúde e a felicidade das pessoas.

“É uma experiência muito boa. A gente se sente feliz em contribuir com a felicidade das pessoas. Decidi começar a doar com ajuda de um amigo, porque  um meu colega estava precisando e decidi ajudar a ele e a mim também, pois não tem preço”, comentou Raimundo.

Já o ajudante de entrega Harleison Costa, 28, afirmou que  seu desejo é que mais pessoas comecem a doar sangue. “Eu sinto que estou ajudando alguém. Comecei a doar desde do final do ano passado. Essa experiência tem sido incrível e gratificante. Espero que mais pessoas comecem a doar, porque quem ajuda uma pessoa, é abençoado por Deus”, destacou.

Outra que relata do sentimento de doar sangue é a doméstica Gilmara Souza, de 31 anos. Ela começou a doar dede que o seu sobrinho precisou de ajuda. “A experiência é maravilhosa, porque estamos colaborando para salvar vidas”, finalizou a doméstica.

Doações

Os interessados em doar sangue devem portar documento oficial de identidade com foto (RG, Carteira Profissional, Carteira de Habilitação); ter entre 18 e 69 anos de idade, sendo que a primeira doação deve ter sido feita antes dos 60 anos; pesar acima de 50 quilos; estar em boas condições de saúde; estar alimentado, porém, tendo evitado refeições pesadas.

Segundo o Hemoam, os homens podem doar a cada 2 meses, até no máximo 4 vezes no período de 12 meses. Já as mulheres podem doar a cada 3 meses, até no máximo 3 vezes no período de 12 meses. As coletas podem ser feitas no Hemoam, localizado na Avenida Constantino Nery, zona centro-sul de Manaus.

Campanha

Hoje e amanhã, no lançamento oficial da campanha do Dia do Doador, intitulada ‘Estenda o braço para a vida, doe sangue’, o Vampirão, unidade móvel usada para a coleta itinerante, estará nas dependências do Manauara shopping, atendendo aos doadores. O veículo ficará estacionado na entrada do centro de compras que fica pela avenida Umberto Calderaro, das 10h às 21h.