FAF desiste de pedir Certidões Negativas de Débito para o Estadual, em 2017

Thiago Fernando / portal@d24am.com


Manaus – Depois de pechinchar desconto na taxa de arbitragem, na última segunda-feira (16), os clubes amazonenses ganharam mais uma ‘mãozinha’ para entrarem em campo, no Campeonato Amazonense. Diferente do que já acontece em Estados como Rio de Janeiro e Ceará, desde o ano passado, a Federação Amazonense de Futebol (FAF) não cobrará as Certidões Negativas de Débito (CNDs) dos clubes para disputar a competição profissional.

A medida deveria ter sido adotada na temporada passada no Amazonas, porém, como informado pelo DIÁRIO DO AMAZONAS, no dia 30 de junho de 2016, o presidente da FAF, Dissica Thomaz Valério afirmou que passaria a exigir os documentos apenas no Estadual de 2017.

Todavia, questionado sobre o cumprimento da nova medida, o diretor de competições da FAF, Ivan Guimarães, afirmou que a federação dará mais um ano para que os clubes amazonenses possam se regularizar. “Tudo isso (obrigatoriedade do CND) está no regulamento. Mas as federações estão dando mais um prazo. A lei vai ter o prazo estendido. Então, nesse ano não estamos cobrando. No ano, passado, quando a CBF pediu, o Nacional e o Princesa mandaram. Quando eles (Confederação Brasileira de Futebol – CBF) pedem, os clubes logo providenciam”, disse o dirigente.

Na mesma reportagem do ano passado, o DIÁRIO informou que o atual campeão amazonense, o Fast Clube (que disputará a Copa Verde, a Copa do Brasil e a Série D do Brasileiro), deve, aproximadamente, R$ 73 mil, sendo R$ 51 mil em dívidas com a previdência social. Segundo o site da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, a dívida permanece. Questionado sobre o fato, o vice-presidente do Tricolor, Cláudio Nobre, disse que “o clube tem algumas certidões. Se a CBF cobrar, vamos arranjar a CND”.

Desde que foi lançado, o Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro, o Profut, como é popularmente chamado, luta para que os clubes passem a ter gestões profissionais. Sendo assim, uma das primeiras medidas tomadas foi proibir que as agremiações inadimplentes com o Fisco de participarem de competições profissionais.

 

Clubes regularizados

Outro representante do Amazonas em competições nacionais, o Princesa do Solimões (disputará a Copa do Brasil e a Série D do Campeonato Brasileiro) informou que possui a documentação. Segundo o novo presidente do Tubarão, Modesto Alexandre, ele recebeu o clube regularizado dos antigos gestores.

O presidente do Nacional, Roberto Peggy, também afirmou que o clube tem as certidões em dia, porém, elas não foram exigidas pela CBF para a Copa Verde.
O DIÁRIO tentou contato com o gerente de competições da CBF, Manoel Flores, mas não obteve resposta.