Famílias em áreas de risco recebem ordem de pagamento do Auxílio Aluguel

Com informações de assessoria / portal@d24am.com


Manaus – A Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) iniciou a entrega da ordem de pagamento do Auxílio Aluguel para 88 famílias que tiveram as casas danificadas após as fortes chuvas que atingiram a capital amazonense em dezembro do ano passado. O tempo de espera se deve aos trâmites burocráticos instituídos pelo próprio banco responsável pelo pagamento.

As famílias cadastradas são dos bairros Mauazinho, Colônia Antônio Aleixo, Nova Vitória, Zumbi I e II, Armando Mendes, Comunidade da Sharp e Manaus 2000.

Manaus tem, hoje, 936 famílias recebendo o Auxílio Aluguel, no valor de R$ 300, com prazos variados, podendo chegar a 12 meses e prorrogáveis por mais seis meses, desde que seja comprovada a necessidade de continuidade.

A doméstica Edileuza Porfírio, do Mauazinho, foi uma das pessoas prejudicadas pela chuva e que agora, vai receber o benefício. “Estava ansiosa, aguardando essa ligação. Minha casa caiu e não estou trabalhando. Tive que alugar um quarto no meu sobrinho e agora esse dinheiro vai ajudar bastante. Saindo daqui, vou direto ao banco para receber”, contou.

Todas as famílias já haviam recebido benefícios eventuais como cesta básica, colchões e lençóis.

A Semmasdh, juntamente com a Subsecretaria de Habitação e Assuntos Fundiários (SubHaf), estuda a maneira de inserir as famílias que tiveram perda total no cadastro do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’.

“Já temos uma determinação do prefeito Arthur Neto de firmar compromisso, já na próxima semana, com essas famílias inseridas no Auxilio Aluguel para que também sejam inscritas no programa habitacional do município”, disse o secretário Elias Emanuel. “A princípio, vai ser feita uma seleção, que passará por avaliação técnica social, visando identificar os casos que se encaixam no perfil, de acordo com a legislação, como critério de renda familiar de até R$ 1.800, famílias oriundas de áreas de risco, com morador idoso ou pessoa com deficiência”.