Gol terá Wi-Fi a bordo em voos no Brasil

Estadão Conteúdo / Diário do Amazonas


São Paulo – A companhia áerea Gol realizou, nesta semana, o primeiro voo no Brasil com serviço de internet sem fio (Wi-Fi) a bordo. O serviço, que foi testado em um voo de São Paulo a Brasília, começará a ser utilizado comercialmente também em uma segunda aeronave na próxima quinta-feira, 6.

O serviço será gratuito por seis meses – e os passageiros que estiverem em uma aeronave com Wi-Fi serão avisados da possibilidade. Depois, os preços devem variar de US$ 5 a US$ 20, dependendo do pacote de dados selecionado. Segundo Paulo Kakinoff, presidente da Gol, a empresa pretende equipar toda a frota com a tecnologia até outubro de 2018. O serviço está sendo feito em parceria com a empresa de conectividade via satélite Gogo, que atende 2,8 mil aviões comerciais no mundo todo.

Neste primeiro momento, os passageiros poderão acessar redes sociais, e-mails, sites e WhatsApp. Mas a Gol pretende ampliar a plataforma ainda neste mês para incluir entretenimento e programação streaming com filmes, desenhos, séries e mapa de voo.

A partir do primeiro trimestre de 2017, a ideia é oferecer também TV ao vivo. “Com isso, oferecermos o pacote de entretenimento mais completo que existe no mundo”, disse. Kakinoff não revelou o volume de investimentos no novo serviço.

Segundo Paulo Kakinoff, a rede da Gol no voo trocou cerca de 750 MB em dados nos primeiros 20 minutos, em 147 acessos simultâneos à rede – a expectativa da empresa é de que a demanda da rede seja de aproximadamente um terço desse total em voos futuros.

Avianca

Há cerca de duas semanas, a Avianca anunciou ser a primeira a ter serviço de Wi-Fi a bordo, em uma aeronave que faz o trajeto entre as cidades do Rio de Janeiro, Salvador e Recife.

A previsão da companhia é de que até o final de 2017, pelo menos 80% da frota de 41 aeronaves ofereça conexão Wi-Fi. Em outubro, outros quatro aviões terão o serviço disponível.

De acordo com José Efromovich, presidente do conselho da Avianca Brasil, a companhia vai priorizar, no primeiro momento, aviões que fazem trajetos mais longos.