IBGE indica que País tinha 1,3 mi de empresas não financeiras em 2014

Estadão Conteúdo /Diário do Amazonas


Rio de Janeiro – O País tinha cerca de 1,3 milhão de empresas de Serviços não financeiros em 2014, que totalizaram R$ 1,4 trilhão em receita operacional líquida e R$ 842,1 bilhões em valor adicionado. Os dados são da Pesquisa Anual de Serviços (PAS), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As empresas ocuparam 13 milhões de pessoas e pagaram R$ 289,7 bilhões em remunerações no ano. A produtividade média – divisão do valor adicionado pelo total de ocupados – chegou a R$ 64.010.

O pessoal ocupado no setor de serviços aumentou 4,5% em relação ao ano anterior, enquanto a receita operacional líquida teve crescimento real de 6,5% e a massa salarial aumentou 8,0%, já descontada a inflação do período.

O segmento que deu a maior contribuição ao crescimento da massa salarial foi o de serviços profissionais, administrativos e complementares, que aumentou 7,6%, o equivalente a um impacto de 2,8 pontos porcentuais. Entre as atividades, as três que mais contribuíram foram serviços de alimentação, impulsionados pelo aumento de contratações para a Copa do Mundo de 2014; tecnologia de informação, devido à entrada de novas empresas no mercado; e transporte rodoviário de cargas, puxado pela safra recorde de grãos em 2014.

Todas tiveram impacto positivo de 1,1 ponto porcentual na elevação da massa salarial dos serviços.

A Copa também teve influência sobre a receita bruta das empresas dedicadas às atividades culturais recreativas e desportivas, que mostrou a maior variação real em relação a 2013 nas regiões Norte (18,0%), Nordeste (37,8%) e Sul (20,2%).