Inauguração da primeira fase do HUGV está prevista para novembro

Da Redação / Diário do Amazonas


Manaus – Está marcada para novembro a inauguração da primeira etapa do Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), em consonância com o que foi acordado com o Ministro da Educação, Mendonça Filho, e o Presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), Kleber de Melo Morais, empresa pública ligada ao Ministério da Educação (MEC), responsável pelos repasses de recursos federais para equipar o hospital com tecnologia de ponta, assim como custeio de manutenção do HUGV. Ambos estiveram em agosto passado em uma visita às futuras instalações do HUGV.

Durante visita, o ministro Mendonça Filho anunciou o repasse de recursos de R$ 6 milhões para o término da obra. Na ocasião, destacou que o novo HUGV obedece a padrões internacionais de qualidade, assistência à saúde e ensino.

“A qualidade e as condições de estrutura física são as melhores que se possa estabelecer. Manaus ganhará realmente um hospital de enorme qualidade”, afirmou Mendonça Filho. O presidente da Ebserh também se impressionou com a obra e destacou a importância do hospital para a comunidade acadêmica, mas sobretudo para a população de todo o estado que conta com o atendimento assistencial.

A reitora da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Márcia Perales, também ressaltou a importância do hospital como campo de prática e formação para profissionais de toda as áreas de saúde, impactando positivamente em toda a região. Prova disso, afirmou, são as 24 residências médicas existentes no hospital, que já formaram no HUGV mais de mil médicos especialistas de diversas áreas.

Segundo o Superintendente do HUGV, Rubem Alves Júnior, novembro será um divisor de águas.  “A primeira etapa já está 96% concluída. Estamos realizando reuniões semanais com todos os setores do hospital para que a migração ocorra da forma mais rápida e segura possível. É um trabalho complexo e precisaremos do empenho de todos. É muito importante o apoio do MEC e da Ebserh para que possamos ocupar esta nova estrutura oferecendo à população não só do Amazonas mas de toda a Amazônia Ocidental e países limítrofes o hospital que ela precisa e merece”.

O superintendente explicou ainda que haverá uma redução temporária de atendimentos, para que a migração seja feita com um número mínimo de pacientes, com o fim de evitar riscos, mas após a inauguração tudo será normalizado. Imediatamente após a transferência, será demolido o hospital atualmente em funcionamento e iniciadas as obras da segunda etapa do hospital, com previsão de entrega para 2018.

HUGV

Uma vez concluído, o novo HUGV terá área construída de 34.660 metros quadrados, 13 pavimentos, garagem com capacidade para 420 veículos e heliponto, além de um moderno parque de diagnóstico por imagem com salas de raios-X telecomandado, ressonância magnética, tomografia computadorizada, ultrassonografia, mamografia e endoscopia digestiva.

O orçamento inicial da obra é de R$ 87 milhões, oriundos do Ministério da Educação (MEC).