Incluídos na Tóquio 2020, esportes ‘engatinham’ no Amazonas

Por Thiago Fernando / vencer@diarioam.com.br


Para atrair um público mais jovem, o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou, no início de agosto, que na próxima edição das Olimpíadas, que acontecerá em Tóquio (JAP), em 2020, serão acrescentadas ao programa oficial de competições as modalidades de skate, surfe, escalada, caratê e beisebol/softebol. Dos novos esportes olímpicos, apenas o karatê tem tradição no Amazonas. Os demais são praticados como hobby no Estado.

Com três atletas locais integrando a Seleção Brasileira, o caratê sai na frente dos outros novos esportes olímpicos no Amazonas. A modalidade vem crescendo, nas últimas décadas. Segundo o presidente da Federação Amazonense de Karatê (FAK), Washington Melo, esse crescimento é fruto do trabalho da nova gestão da Confederação Brasileira de Karatê (CBK), que passou a investir em todas as regiões do País.

“Com a nova gestão da CBK, surgiu uma nova política, que ajudou a expandir a modalidade pelo País. Prova disso é que colocamos três atletas do Amazonas na Seleção Brasileira. Agora, a oportunidade é para todos”, citou Washington, que afirmou acreditar que o Brasil pode conquistar medalhas no caratê, em 2020. “Já milito no karatê há 40 anos e voltar aos Jogos Olímpicos era um sonho. Batemos na porta umas duas ou três vezes, mas perdemos as eleições. Hoje, o caratê brasileiro é o mais forte das Américas. Saímos do Pan-Americano em primeiro pelo número de medalhas. Vejo como modalidade promissora para conquistar medalhas olímpicas”, concluiu.

Quem também comemorou a notícia foi a carateca Whitney Paloma. A amazonense foi convocada para integrar a Seleção Brasileira no Sul-Americano disputado na Colômbia. Agora, Whitney sonha em participar dos Jogos de Tóquio.

“Mesmo com todas as dificuldades, creio que a Olimpíada de Tókio será mais um objetivo realizado. Estamos trabalhando forte e, se Deus permitir, vai da tudo certo. Será muito gratificante representar o meu País”, disse Paloma.