‘Japonês da Federal’ livre da tornozeleira eletrônica

Estadão / Diário do Amazonas


O agente da Polícia Federal Newton Ishii, celebrizado na Operação Lava Jato como o ‘Japonês da Federal’, está livre da tornozeleira eletrônica. Ele foi beneficiado por uma redução da pena a que foi condenado por facilitação de contrabando na fronteira de Foz do Iguaçu.

Ele ficou famoso na Lava Jato porque fez a escolta de empreiteiros, doleiros, políticos e ex-dirigentes da Petrobrás capturados na grande operação.

‘Japonês da Federal’ pegou quatro anos e dois meses de condenação no processo sobre contrabando. A Justiça autorizou que ele ficasse livre, mas com uso da tornozeleira.

Ele voltou à cena no início de setembro, quando escoltou à prisão da PF o empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, detido por ordem do juiz federal Sérgio Moro na ação penal em que é réu com o ex-senador Gim Argello (PTB/DF).

Como continuou trabalhando, a pena do ‘Japonês da Federal’ sofreu um abatimento – a legislação sobre execução penal prevê que a cada três dias de labor o réu é beneficiado com um dia a menos da pena.