No Amazonas, cai adesão à vacina contra o HPV

Por Gisele Rodrigues /Diário do Amazonas


Manaus – No Amazonas, a adesão à vacina contra o papilomavírus humano (HPV) teve queda de 31% em comparação com o primeiro semestre do ano passado, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (Susam). Até julho, 923 doses foram aplicadas, número inferior ao mesmo período do ano passado, quando 1.346 meninas já haviam sido vacinadas. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), cerca de 820 novos casos de câncer do colo do útero causado pelo vírus do HPV serão diagnosticados no Amazonas, neste ano.

A coordenadora estadual do Programa Nacional de Imunização (PNI), Izabel Nascimento, reconhece a queda na cobertura da vacina contra o HPV e justifica a redução com uma mudança na estratégia de vacinação. Segundo ela, em 2015, a vacina passou a fazer parte do PNI e as campanhas deixaram de ser realizadas dentro das escolas.

Para aumentar a taxa de cobertura, segundo Nascimento, a vacina que previne o câncer de útero será oferecida pela primeira vez durante a campanha de atualização da caderneta de saúde. Com início no dia 19 de setembro e previsão de finalização no dia 30 do mesmo mês, o público-alvo da imunização contra o HPV são meninas de 9 a 13 anos e mulheres com HIV entre 9 e 26 anos. O dia ‘D’ da campanha será realizado no dia 24 de setembro, em todos os postos de saúde, conforme informou Nascimento.

De acordo com Nascimento, mesmo após a campanha de atualização, os responsáveis poderão levar as crianças às unidades de saúde para tomar a vacina.

“Toda criança de 9 a 13 anos já está na rotina da vacinação. Os pais podem procurar a Unidade de Saúde. O problema é que a procura não está sendo efetiva, os pais precisam se sensibilizar sobre a gravidade da doença e levar sua adolescente”, ressaltou.

A coordenadora relembra que, para completar a imunização, é necessário que sejam aplicadas as duas doses, com intervalo de seis meses entre a primeira e a segunda.

A vacina distribuída gratuitamente protege contra quatro tipos de HPV: o 6, o 11, o 16 e o 18. Dois deles (o 6 e o 11) estão relacionados com o aparecimento de 90% das verrugas genitais. Os outros dois (o 16 e o 18) estão relacionados com 70% dos casos de câncer do colo do útero.

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), a vacina HPV já é utilizada em mais de 100 países, com mais de 180 milhões de doses aplicadas desde 2006. O MS afirma que é muito segura, desenvolvida por engenharia genética e, raramente, ocasiona reações como dor, inchaço e vermelhidão no local da aplicação.