Para estancar crise, Geddel vai deixar ministério

Estadão Conteúdo / portal@d24am.com


Brasília – O ministro da Secretaria Geral de Governo, Geddel Vieira Lima, já tomou a decisão de deixar o governo ainda nesta sexta-feira (25), para tentar estancar a crise política do governo. Geddel vai oficializar sua demissão  por causa da acusação de tráfico de influência feita pelo ex-ministro da Cultura Marcelo Calero.

Geddel foi acusado de pressionar Calero para autorizar que o Iphan da Bahia liberasse a construção de um prédio onde tinha adquirido um apartamento. Calero se recusou a atender o pedido e se queixou ao presidente Michel Temer. Percebendo que Temer decidiu ficar do lado de Geddel, o então ministro preferiu se demitir.

A crise aumentou muito de proporção e tornou a situação de Geddel insustentável depois que Calero prestou depoimento à Polícia Federal e acusou Geddel e o próprio Temer de o presionar para que autorizasse a obra. Para tentar estancar a sangria política do governo, Geddel vai deixar a pasta.