Parte da venda de Gabigol deverá ser usada para quitar dívida do Santos

Estadão Conteúdo /Diário do Amazonas


São Paulo – A venda de Gabigol para a Inter de Milão rendeu um bom dinheiro para os cofres do Santos, que fechou a negociação por R$ 98 milhões e ficou com aproximadamente R$ 50 milhões. O valor, que poderia ser investido em reforços, deverá ser usado para quitar a dívida com o jogador Ledesma. O atleta teve seu contrato encerrado no ano passado e alega que o time da Vila deve R$ 403 mil.

O empresário do ex-jogador do Santos, Lodovico Spinosi, acionou o clube nos tribunais e conseguiu o direito de receber parte dos valores da venda do atacante Gabigol. O processo, que cobra a intermediação do jogador argentino para o time alvinegro, determinava a garantia de uma bilheteria de jogo, mas foi contestado pelo departamento jurídico do Santos. A decisão final foi penhorar o CT ‘Meninos da Vila’.

A 4ª Vara Cível de Santos determinou o bloqueio do valor que virá do exterior. A Inter de Milão pagará à vista 28 milhões de euros, sendo 18 milhões para o Santos. O clube ainda poderá recorrer da decisão.

Confira a decisão da justiça:

Considerando o precedente surgido na Execução 1020836-18.2015, desta mesma 4a Vara Cível de Santos, após a venda do jogador GABRIEL BARBOSA ALMEIDA, impõe-se ajustar a forma de penhora de modo à buscar rápida e eficaz satisfação da execução. DETERMINO o cancelamento do bem imóvel penhorado no termo de fls. 473. COMUNIQUE-SE o Perito. LEVANTE-SE eventuais restrições via sistema ARISP. DEFIRO a penhora dos créditos que o Executado Santos Futebol Clube tem em relação a venda do atleta GABRIEL BARBOSA DE ALMEIDA até o valor de R$ 403.886,03. EXPEÇA-SE mandado para intimação pessoal do Presidente do Santos Futebol Clube para que providencie o depósito nos autos do valor penhorado no exato instante em que p crédito estiver de qualquer forma disponível ao Santos Futebol Clube, SOB PENA DE CRIME DE DESOBEDIÊNCIA. CUMPRA-SE COM URGÊNCIA NO PLANTÃO DA SADM.OFICIE-SE ao Banco Central do Brasil para o bloqueio de qualquer crédito vindo do exterior em nome do Santos Futebol Clube até o valor da execução. OFICIE-SE a Federação Internacional de Futebol – FIFA, para ciência da penhora e adoção das providências cabíveis em caso de não cumprimento da ordem judicial, inclusive, se o caso, proibindo a agremiação de novas transações. A parte exequente deverá providenciar a impressão e encaminhar os ofícios e, ainda, comprovar o protocolo nos autos em até 10 dias.