Produção de Petróleo cai 12% no Amazonas, diz ANP

Por Beatriz Gomes /Diário do Amazonas


Manaus – Enquanto que a produção de petróleo bateu recorde no País, em julho, no Amazonas houve queda de 12% em relação a igual mês de 2015 e de 5,2%, comparado a junho. A produção de gás natural também recuou 3,83%, contra julho de 2015, e ficou estável em relação a junho. As informações são da Agência Nacional de Petróleo,  Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Em julho, a produção de petróleo e gás natural no Amazonas foi de 23,390 mil barris por dia (bbl/d) e 13,581 milhões de metros cúbicos diários (m³/d), respectivamente, totalizando 108,816 mil barris de óleo equivalentes por dia (boe/d).

O Amazonas é o terceiro Estado maior produtor de gás natural, sendo responsável por 13% da produção do País, atrás de Rio de Janeiro (44%) e São Paulo (15%). No ano passado, o Estado contribuia com 15% da produção total e o Rio de Janeiro e São Paulo com 40% e 17%, respectivamente.

A Bacia do Solimões possui seis campos produtores, um a menos que em julho do ano passado, mesmo assim ainda possui a terceira maior produção total de gás natural do Brasil. Leste do Urucu e Rio Urucu foram o quinto e sexto maiores campos produtores de gás natural do País com 6,2 milhões e 5,9 milhões de m³/d. Ano passado, eles produziam 6,5 milhões e 6,2 milhões de m³/d, respectivamente.

Quando acrescentada a produção total de petróleo e gás natural, a pósição do Leste do Urucu cai para 15º e o Rio Urucu para 16º com produções de 51 boe/d e 46 boe/d, respectivamente, contra 54 boe/d e 50 boe/d, no ano passado. A queima de gás na Bacia do Solimões corresponde a 6% do total do País.

Nacional

No País, a produção total de petróleo e gás natural em julho totalizou 3,255 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d), ultrapassando o recorde anterior obtido em junho de 2016, quando foram produzidos 3,21 MMboe/d.

Conforme a agência, a produção de petróleo foi de aproximadamente 2,581 milhões de barris por dia (bbl/d), um aumento de 0,9% ante junho e de 4,7% em relação ao mesmo mês em 2015. A ANP destaca que a produção de petróleo superou o recorde alcançado em junho de 2016, quando foram produzidos 2,558 MMbbl/d.

Já produção de gás natural totalizou 107,2 milhões de metros cúbicos por dia (m3/d) em julho, superando o recorde anterior de 103,5 MMm3/d obtido em junho de 2016, o que representa um aumento de 3,5% frente a junho de 2016 e de 12,4% na comparação com julho de 2015.

Conforme a ANP, em julho de 2016, 296 concessões, operadas por 24 empresas, foram responsáveis pela produção nacional. Destas, 81 são concessões marítimas e 215 terrestres.