Produção industrial volta a ter queda e 20 atividades são afetadas, indica IBGE

Estadão Conteúdo / portal@d24am.com


Rio de Janeiro – Ainda em meio à ressaca pelo anúncio de nova queda relevante no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro no terceiro trimestre, a indústria  emite o primeiro sinal de que a atividade econômica deve voltar a decepcionar também no último trimestre do ano. A produção industrial recuou 1,1% entre setembro e outubro, com perdas em 20 das 24 atividades, conforme pesquisa divulgada, nesta sexta-feira (02), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A indústria brasileira opera, atualmente, 21,6% abaixo do pico registrado em junho de 2013. A linha de produção roda em patamar semelhante ao de dezembro de 2008, época da crise financeira internacional. Na comparação com outubro de 2015, a indústria teve retração de 7,3% em outubro deste ano, a 32ª taxa negativa seguida.

Em outubro, fabricantes de alimentos e automóveis puxaram o recuo, mas a queda foi disseminada entre atividades e categorias de uso. A produção de bens de capital, que indica investimentos, caiu 2,2%, a quarta taxa negativa seguida, acumulando retração de 9,5% no período. O desempenho mostra que a recuperação do PIB pode ser postergada para o segundo trimestre de 2017, alertou o economista-chefe do Banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves. “Esses fatores indicam um cenário ruim para o ano que vem, com risco de atrasar ainda mais a recuperação da economia”, disse.

Na avaliação da Tendências Consultoria, o resultado da produção industrial reforça a expectativa de retração na economia no quarto trimestre, mas o setor deve apresentar resultados relativamente mais favoráveis nos dois meses finais do ano.