Projeto Jaraqui propõe ações contra violência infanto-juvenil

Manaus – Um ‘grito’ contra a violência a criança e ao adolescente está previsto para este sábado (17), das 10h às 12h, no coreto da Praça Heliodoro Balbi, conhecida como Praça da Polícia, no Centro de Manaus. Organizada pelo Projeto Jaraqui da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), uma tribuna popular reunirá a população e autoridades para discutir e elaborar estratégias para ampliar a luta contra violência à criança na capital, pelo movimento ‘Grito dos Inocentes’. De acordo com o coordenador, o professor Ademir Ramos, o ato não está envolvido com nenhum partido ou movimento religioso.

“Diante dos últimos acontecimentos de violência, devemos observar que não é apenas um assunto de polícia, é um fato social. Então, iremos romper com o silêncio e, além de formular críticas, iremos elaborar propostas ao Estado. O espaço é aberto para a conversa”, explicou Ramos.

Ele destaca ainda que é dever de toda a sociedade olhar pelas crianças e que, dependendo do resultado da discussão, o grupo prevê novas ações como encaminhamento de documentos e visitas à órgãos públicos para apresentar as propostas.

Para Ramos, ampliar o debate é importante para o objetivo da campanha contra os crimes. “Vendo o grau de violência, observamos a indiferença diante de casos que são com a gente. Porém, o silêncio é tão ruim quanto a própria violência, pois se não houver união para a luta, iremos compactuar com esse tipo de crime”, defendeu o professor.

“As leis de proteção à criança são claras e bem estruturadas, mas o que falta são programas e orientação a população. Hoje, a crise econômica afeta a família devido ao desemprego e falta de segurança”, comentou Ramos. “Muitas famílias não seguem mais a estrutura tradicional, a criança fica sob cuidado só de um pai ou de uma avó, afetando a saúde, educação e segurança da pessoa em desenvolvimento, então tudo isso deve ser debatido para encontramos soluções”.

O Projeto Jaraqui, que acontece todo sábado, é promovido pelo Núcleo de Cultura Política da UFAM e conta com o apoio do Centro recreativo da Praça Heliodoro Balbi, conhecida como Praça da Polícia.