Torcedores suecos e colombianos apostam em vitória das seleções em jogo na Arena da Amazônia

Por Patrick Marques e Amanda Guimarães


Manaus – Torcedores estrangeiros chegaram cedo para assistir as primeiras partidas dos Jogos Olímpicos Rio 2016, na tarde desta quinta-feira (04), na Arena da Amazônia. Por volta das 16h, colombianos e suecos encheram a avenida Constantino Nery com muita animação e demonstraram confiança na vitória das seleções olímpicas.

O colombiano Fernando Medina, 59, que veio para Manaus apenas para acompanhar de perto a seleção da Colômbia, afirmou que estava confiante para a vitória do seu país. Ele também apostou em um valor.

“Hoje será um jogo muito importante. Tenho certeza que hoje será o nosso primeiro passo para ficar com a medalha de ouro. A Colômbia vai ganhar de 2×1. Não vamos deixar que o Brasil vença a competição pela primeira vez”, destacou o colombiano.

Usando chifres de vikings, o suéco Gunnar Ahlberg, 51, caminhou até a Arena da Amazônia em um clima de bastante felicidade. Durante o percurso, brasileiros e até os adversários colombianos pediam para tirar foto com ele.

Sobre a partida, Gunnar acredita que apesar dos jogadores suecos não estarem acostumados com o clima quente de Manaus, irão vencer os colombianos por 2 x 1.

“A Colômbia está sendo tratada como favorita mas acredito que vamos vencer. Cheguei em Manaus na terça-feira (2) e estou gostando muito da cidade, mas é muito calor. Nem o ar-condicionado está dando jeito”, disse Gunnar, comentando que já visitou o Teatro Amazonas e saiu para comer pela cidade.

A família inteira do sueco Johan Sylwan, 53, veio para Manaus prestigiar a estreia da seleção na Olimpíada. Ele comentou que a família não está muito confiante na Suécia para a competição, mas espera na vitória por 1 x 0 contra a Colômbia. “Estamos um pouco hesitantes com a seleção, mas viemos prestigiar o jogo e apoiar, para quem sabe, vencermos”, disse.

Segundo Johan, a família já está em Manaus há uma semana e fez um passeio pela floresta. Mas o que mais sentiram, foi o calor da cidade. “É quente demais, mas nós estamos gostando. Vamos ficar aqui por mais dois dias e vamos para o Rio, ver a seleção de handball”, finalizou o sueco.