Venda de ingressos para a Superliga Feminina de Vôlei atrai torcedores em Manaus

Diogo Rocha /Diário do Amazonas


Manaus – Pela primeira vez no Amazonas, a Superliga de Vôlei Feminina, temporada 2016/2017, deve atrair o interesse dos torcedores de Manaus. Na abertura das vendas dos ingressos, na manhã desta quarta-feira (19), para o jogo entre São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP) e Dentil/Praia Clube (MG), que será no dia 11 de novembro, mais de 50 pessoas já haviam comprado as entradas.

Os bilhetes começaram a ser vendido, às 9h, nas bilheterias da Arena Amadeu Teixeira. Mas desde às 7h30, torcedores já formavam longas filas para adquirir os bilhetes, conforme informou a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

A equipe do Portal D24AM esteve na Arena, a partir das 10h, e a movimentação do público havia reduzido por conta do calor intenso. Um total de 15 pessoas foram até a bilheteria durante os 60 minutos que a reportagem acompanhou.

Pela Superliga Feminina, a capital do Amazonas também receberá o jogo entre São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP) e Rexona-Sesc (RJ), no dia 3 de fevereiro de 2017. Os ingressos para essa partida ainda não estão disponíveis para venda.

 

Os ingressos para a Superliga Feminina estão sendo vendidos nas bilheterias da Arena Amadeu Teixeira, das 9h às 18h nos dias de semana e aos sábados. Foto: Mauro Neto/Sejel

Ex-jogador de vôlei e membro do conselho fiscal da Federação Amazonense de Vôlei (FAV), Antônio Zenir Picanço, 81, acompanha sempre que possível as disputas em quadra da Seleção Brasileira, como na Liga Mundial Masculina, do ano passado, no Rio de Janeiro. Ele comprou sete ingressos para levar toda a família.

“Do vôlei feminino, será a primeira vez que verei uma partida. O Praia Clube está muito bom, mas voltarei para a assistir o jogo do Rexona (RJ, em fevereiro), que está tão bem treinado (pelo técnico Bernardinho) e ganha tudo”, analisou Picanço, que é irmão do presidente da FAV, Tadeu Picanço.

Fã da bicampeã olímpica e central Fabiana, Luciana Coelho, 28, irá torcer por uma vitória da equipe do Praia Clube, onde atua a jogadora da Seleção Brasileira Feminina. Ela irá acompanhada do marido, outro torcedor assíduo do vôlei. “Eu e meu marido assistimos bastante pela televisão (jogos da Superliga e outras competições de vôlei), gostamos muito de tudo que é ligado a esportes. E nessa oportunidade da Superliga queremos participar, pena que ainda não estão vendendo os ingressos para o jogo de fevereiro”, disse Luciana.

O segurança Luiz Paulo, 47, está animado com a entrada de Manaus na rota da Superliga, a divisão de elite do voleibol brasileiro. “Quando viajei para Minas Gerais, há quatro anos, vi um jogo da Superliga Feminina. Comprei ingressos para mim, minha irmã e sobrinho”, disse Paulo, que no passado jogou pela seleção amazonense de vôlei.

Ingressos e Mundial

O presidente da FAV, Tadeu Picanço, está confiante que a carga máxima de dez mil ingressos se esgote até o dia da partida do São Caetano (SP) e Praia Clube (MG). A ideia é credenciar Manaus para receber dois jogos da Liga Mundial Masculina, em 2017.

“A procura (pela Superliga) vai aumentando conforme o dia do jogo se aproxima e as pessoas tomem conhecimento. São dois jogos excelentes e teremos no dia 11 de novembro, atletas de Seleção Brasileira, como a Fabiana. Espero que a Arena (Amadeu Teixeira) lote como ocorreu no Campeonato Sul-Americano (Juvenil Masculino, em 2006) e na Copa América (Adulta Masculina, em 2007)”, declarou Picanço.

Os ingressos para a Superliga Feminina estão sendo vendidos nas bilheterias da Arena Amadeu Teixeira, na rua Lóris Cordovil, em Flores, zona centro-sul de Manaus, das 9h às 18h nos dias de semana e aos sábados. As entradas para o jogo de novembro, entre São Caetano e Praia Clube, terão valor único de R$30 (arquibancada superior), R$50 (arquibancada inferior) e R$100 (área vip).

Os valores dos bilhetes são referentes aos beneficiários de meia-entrada (idosos, terceira idade, estudantes e PCDs) e o público em geral mediante a um quilo de alimento não perecível.