Artista de Manaus apresenta espetáculo solo na Europa

Norteada por esperança e liberdade, obra do artista Leonardo Scantbelruy será apresentada no festival Encuentros Emergentes, na Espanha

Da Redação

Manaus – O espetáculo ‘Passarinho’, do Coletivo Mona — com solo de Leonardo Scantbelruy —, será apresentado no encerramento do evento Encuentro Emergentes, na Espanha, no próximo domingo, 29. Com foco na esperança, a performance é definida como uma tentativa de ser livre em meio a uma sociedade cerceadora. A participação partiu de um convite do próprio festival, que assina a coprodução do espetáculo.

No espetáculo, o artista usa técnica de tecido circense (Foto: Divulgação)

Pela segunda vez no evento, Scantbelruy esteve presente no festival do ano passado, com ‘Recolon’, obra contemplada no Edital de Conexões Culturais de 2017, pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) e que deve entrar em circulação, em Manaus, no mês de outubro, passando por várias zonas da capital e, também, na área ribeirinha.

Sequência direta do trabalho em performance que Scantbelruy desenvolve desde 2014 e que já culminou em ‘Recolon’, ‘Passarinho’ traz novas abordagens tanto cênicas quanto temáticas. A principal é a introdução da técnica de tecido circense, que o artista estuda desde a graduação em Teatro, na Universidade do Estado do Amazonas (UEA), e que, atualmente, é o foco de um trabalho com crianças que ele desenvolve no Quilombo de São Benedito, no bairro Praça 14.

Se, em ‘Recolon’, os elementos cênicos remetiam ao solo e a raízes, no novo trabalho, o intérprete busca as alturas. A maior parte do processo de criação e ensaios se deu em uma árvore situada na Praça da Saudade, Centro. E, atualmente, antes da estreia, o artista desenvolve processo semelhante no Parque de Los Patos, na Mairena del Alcor, na cidade espanhola de Sevilha.

‘Passarinho’ conta, ainda, com a participação dos artistas Yara Costa (instrutora de áereo), Daniel Bonfim (músico), Daniel Braz (editor de som), Marcelo ‘Balaclavo’ Nobre (identidade visual), Elson Arcos (sonoplastia), Preta Scantbelruy (Figurino) e Mendes Auá (desenhos).

Além da participação no Encuentro Emergentes, Leonardo Scantbelruy colabora no processo criativo da intervenção urbana ‘Proyecto X’, desenvolvida pelo coletivo Silere (Chile/Espanha).

Inspiração

Quando morou em Porto Velho (RO), Leonardo Scantbelruy viu todo o processo de degradação socioambiental provocado pela construção das usinas hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio, e é perceptível o quanto isso reverbera em seu trabalho. Além da forte crítica a esses grandes empreendimentos em ‘Recolon’, há, agora, uma preocupação com a fauna amazônica e com os seres deslocados pela ação humana.

“Refleti sobre muitos aspectos, desde a questão do tráfico de animais até o deslocamento de algumas populações, por conta de grandes empreendimentos. São reflexões que vêm desde os processos iniciais do ‘Recolon’ e pela circulação dessa obra, também”, revela Scantbelruy.