Búlgaro encerra trilogia amazônica

Escritor Ilko Minev narra a saga de famílias que foram expulsas do território Raposa Serra do Sol, em Roraima, após conflitos judiciais e policiais, desde o século 19

Bruno Mazieri

Manaus- A paixão de Ilko Minev pela Amazônia já lhe rendeu dois livros e o terceiro será lançado, nesta terça-feira (22), às 19h, na Livraria da Vila, no Shopping Higienópolis, em São Paulo. Em ‘Na Sombra do Mundo Perdido’, o escritor búlgaro-judeu, mas ‘cabloco’ — como gosta de se definir —, conta a história das famílias Costa e Hazan, retiradas da região denominada Raposa Serra do Sol, em Roraima, durante batalha jurídica e policial de demarcação da terra que, atualmente, é tida como indígena.

A obra, que durou dois anos para ser escrita, encerra uma trilogia que começou com ‘Onde Estão as Flores?’ e ‘A Filha dos Rios’. (Foto: Divulgação)

De acordo com Minev, a ideia do livro surgiu após ‘subir’ o Monte Roraima e passar a estudar todo o seu entorno. “Nesse período, fiquei sabendo de histórias dramáticas de famílias que foram retiradas daquela área no período de demarcação. Descobri, durante meus estudos, que boa parte daquela área foi assentada no século 19, por nordestinos fugidos da seca, sendo esse deslocamento patrocinado, inclusive, pelo império”, explica ele.

O escritor ressalta, também, a ‘luta’ pelas terras entre o Brasil e a Guiana Inglesa. Segundo Minev, a ‘disputa’ foi parar em esferas internacionais. “Na época, Joaquim Nabuco buscou arbitramento internacional e a justificativa para o País ficar com as terras foi justamente o assentamento que já existia há mais 40 anos. Assim sendo, a Raposa Serra do Sol ficou pertencente ao Brasil”, diz.

Cento e cinquenta anos depois, os descendentes desses colonos nordestinos foram retirados por conta da demarcação indígena. “Soube de histórias de pessoas que tiveram que sair da região e de casas que foram de seus avós, mesmo todos sabendo que os colonos, de certa forma, já haviam se misturado aos índios que habitavam aquele lugar”, revela ele, lembrando, ainda, que o Monte Roraima já serviu de inspiração para a Disney, na animação ‘Up’ e para Steven Spielberg, em ‘Jurassic Park’.

A obra, que durou dois anos para ser escrita, encerra uma trilogia sobre a Amazônia que começou com ‘Onde Estão as Flores?’ e seguiu em ‘A Filha dos Rios’. “O primeiro conta a chegada da minha família a Amazônia, mas não de forma autobiográfica, pois conta com muita ficção. Nesta obra, que encerra este ciclo, fiz os personagens andarem por toda a Amazônia, desde a época da borracha até hoje. O próximo livro, eventualmente, terá outra temática”.

‘Na Sombra do Mundo Perdido’ terá uma tiragem de 7 mil cópias, algo diferente para o escritor. “Sete mil é muito para o Brasil. As outras duas publicações saíram com pouco mais de 5 mil e me deixaram bem nervoso. A editora (Buzz) acredita bastante no sucesso da história”, finaliza. Em Manaus, o livro será lançado na Livraria Leitura, do Amazonas Shopping, no dia 30 deste mês.