Estudantes da UEA apresentam peça ‘A mão na face’, em Manaus

Por Patrick Marques


Manaus – Formandos do curso de teatro da Universidade Estadual do Amazonas (UEA), vão apresentar o espetáculo teatral “A mão na face”, no dia 30 de julho, às 20h na sede do Grupo Garagem, localizado na Avenida Joaquim Nabuco, Centro. A apresentação é uma releitura da obra de mesmo nome, do dramaturgo cearense Rafael Martins, adaptada com assuntos regionais. A entrada é gratuita.

Um dos formandos de teatro da UEA e diretor da peça, Ítalo Rui, 22, comentou que a turma fez uma leitura da obra de Rafael Martins em uma atividade do curso, no ano passado e a história chamou a atenção. A trama de “A mão na face”, segundo ele, se passa dentro de um camarim de uma boate, onde duas amigas, uma prostituta e um travesti que dançam no local conversam sobre suas vivências e sonhos, durante toda a peça.

Ítalo explicou que a apresentação do espetáculo faz parte de um pré-requisito para os alunos poderem se formar. “Vamos nos formar esse ano e precisamos montar e apresentar um espetáculo de teatro. Lembramos da leitura que fizemos de “A mão na face” e decidimos fazer uma releitura regional nossa para apresentarmos”, disse.

Segundo o formando, o espetáculo será apresentado durante a Mostra Semestral de Teatro da Universidade Estadual do Amazonas. No dia da apresentação, Ítalo afirmou que a peça será apresentada não só para o público presente, mas para uma banca de jurados que irão avaliar o trabalho dos estudantes.

Ainda de acordo com Ítalo, o grupo já está trabalhando na releitura de “A mão na face” desde o início do ano. “Ficamos um mês só estudando o texto. Depois fomos para a parte prática dos ensaios e montagem de cenas. Agora estamos perto da apresentação, com muitos ensaios para o dia da apresentação”, comentou o diretor da peça, explicando que a releitura foi feita para trazer traços regionais para a apresentação.

Para a apresentação, Ítalo comentou que preparou uma peça em que a interação com o público é essencial. Com isso, ele espera que as pessoas participem. “Estamos muito nervosos, pois terá a banca. Temos que dar o nosso máximo. Fiz a peça não só com a encenação, mas com a interação do público. Espero que tudo dê certo e eles gostem”, finalizou o formando de teatro da UEA.