Ordem de apresentação do 6º Festival Amazonas de Música é definida

Quem abre a primeira noite do Festival, na quarta-feira (27), é a música “Natureza”, composta e interpretada por Lílian Mendonça, e quem encerra é “A Viola e o Violeiro”, de Salomão Rossy e Zé Alexandre; confira

Com informações da assessoria/redacao@diarioam.com.br

Manaus – Foi realizado sorteio na manhã desta sexta-feira (22), no Centro Cultural Palácio da Justiça, para definição da ordem de apresentações das músicas concorrentes nas duas noites de eliminatórias do 6º Festival Amazonas de Música. O sorteio foi conduzido pela coordenação geral do Festival, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, com a participação de representantes do Sindicato dos Músicos Profissionais do Amazonas (Sindmam).

Quem abre a primeira noite do Festival, na quarta-feira (27), é a música “Natureza”, composta e interpretada por Lílian Mendonça, e quem encerra é “A Viola e o Violeiro”, de Salomão Rossy e Zé Alexandre. Já na quinta-feira (28), a primeira música da eliminatória é “Manaus Menina dos Olhos Meus”, de Cleber Faba, e a última é “Novo Sol”, de Roberto Shamanti.

Sorteio foi realizado na manhã desta sexta-feira (Foto: Divulgação/ Sec)

Ao todo, 30 composições foram escolhidas pela Comissão Curadora do Festival, sendo 15 músicas em cada eliminatória. A grande final será na sexta-feira (29), reunindo as dez melhores músicas escolhidas pela Comissão Julgadora das Eliminatórias, formada por Ziza Padilha, Bernardo Lameiras e Fátima Silva, com base nos critérios de Arranjo, Melodia e Harmonia.

As dez composições mais bem avaliadas pela Comissão Julgadora para Eliminatórias serão anunciadas na manhã da sexta-feira (29) e reapresentadas no palco do Teatro Amazonas na grande final do Festival, na noite do mesmo dia. A premiação acontece mais tarde, com a entrega dos troféus aos vencedores nas categorias Melhor Música – 1º, 2º e 3º lugares –, Melhor Intérprete, Melhor Letra e Voto Popular.

As canções vencedoras da categoria Melhor Música serão eleitas dentre as finalistas, com base nos critérios de Arranjo, Harmonia e Melodia, pela Comissão Julgadora para Final, formada por Marcos Suzano, Célio Vulcão e Claudio Abrantes.

O prêmio de Melhor Intérprete será dado de acordo com os critérios de Dicção, Afinação, Postura no Palco e Ritmo. Já o de Melhor Letra será outorgado segundo os de Poesia e Prosódia. Todas as 30 selecionadas estarão na disputa nas duas categorias. A composição vencedora na categoria Voto Popular será escolhida por votação do público do Teatro Amazonas, nas duas noites de eliminatórias.

Além dos troféus do Festival, os ganhadores receberão prêmios em dinheiro. Os vencedores da categoria Melhor Música receberão, R$ 20 mil, R$ 15 mil e R$ 10 mil, em valores brutos, respectivamente para os 1º, 2º e 3º lugares. Os premiados como Melhor Intérprete e Melhor Letra receberão R$ 5 mil, em valor bruto. E o ganhador do Voto Popular receberá R$ 3 mil, em valor bruto.

 

Em Libras

O Festival Amazonas de Música amplia o acesso das apresentações desta edição aos surdos, com a tradução simultânea das letras de todas as composições em disputa no evento para Libras (Linguagem Brasileira de Sinais). Dessa forma, eles também estarão aptos a registrar seus votos para eleger a melhor música na categoria Voto Popular.

 

Shows e homenagem

Após as apresentações da segunda noite de eliminatórias, na quinta-feira (28), o público do Teatro Amazonas poderá curtir shows das três vencedoras do 5º Festival Amazonas de Música, realizado em 2014. Quem abre a série é Nícolas Junior, vencedor em 3º lugar, com “Memórias do Alentejo”; seguido de Gil Valente, ganhador em 2º lugar, com “Índios urbanos”; e encerrando com Armando de Paula, coautor com Anibal Beça de “Partilha”, eleita Melhor Música na quinta edição.

Na sexta-feira (29), antecedendo a grande final, a noite inicia com homenagem a Peteleco da Viola, como era conhecido Rocivaldo Patriarca dos Santos. Falecido no ano passado, o compositor e cantor escrevia suas músicas nas horas vagas do trabalho como pedreiro. Entre elas se incluem “Por um palmo de terra”, que lhe rendeu prêmio no Festival da Canção de Itacoatiara (Fecani), e “Fala sério”.

Logo após, o público confere o show do Raízes Caboclas, que comemora em 2017 seus 25 anos de estrada. No palco, os músicos relembram canções inesquecíveis como “Cheiro de cabocla”, “Banzeiro”, entre outras.