Palacete Provincial recebe mostra fotográfica com cunho ideológico

A mostra contará com fotografias de profissionais de Manaus, do Canadá, México, Peru, Argentina, da Terra Indígena do Xingu (MT), de Belém, Recife, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo

Filipe Távora / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Em manifestação ideológica contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o crescimento da direita no País, a exposição ‘Atlas Momosyne’ reunirá 130 obras de 17 artistas visuais, nacionais e internacionais, na galeria Manoel Santiago, do Palacete Provincial, na Praça da Policia, bairro Centro, zona sul da capital, neste sábado (16), às 19h. A mostra contará com fotografias de profissionais de Manaus, do Canadá, México, Peru, Argentina, da Terra Indígena do Xingu (MT), de Belém, Recife, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

De acordo com o curador da exposição, o jornalista Alberto César Araújo, 49, o projeto terá um viés ideológico forte por trás das obras. “Nesse momento de retrocesso que o País está vivendo, acho que os artistas precisam se manifestar. Estamos reagindo à ascensão da direita no mundo”, disse. As obras levarão temas de carnavais que ocorreram ao redor do mundo, levando debates sócio-políticos, envolvendo temas como direitos civis, meio-ambiente, feminismo, racismo, misoginia, xeno, homo e transfobia.

Mostra ficará em cartaz até o dia 15 de abril (Foto: Divulgação)

Além das exposições fotográficas, o público também poderá contar com duas performances e duas intimações. A mostra terá, também, obras dos coletivos fotográficos Farpa, Rede Panamazônica e Mídia Ninja.

Os artistas contemplados na exposição são: Todd Southgate (Canadá), Israel Fuguemann (México), Leo Savaris (São Paulo), Ana Carolina Fernandes (Rio de Janeiro), Ratão Diniz (RJ), Ricardo Labastier (Recife), Luan Rodrigues (Belém), Kamikia Ksêdjêe (da Terra Indígena do Xingu), Marcela Bonfim (São Paulo), Uesley Marcelino (Brasília), os coletivos Sub Coop (Argentina) e Versus Photo (Peru), Raphael Alves (Amazonas), Maycon Nunes (Mato Grosso), Mendes Auá, Keila Serruya e Paulo Trindade. Além deles, também exporão os artistas Valda Nogueira, Tuane Fernandes, Thiago Dezan, Francisco Proner, Erick Dau e Christian Braga, do coletivo Farpa; já a Rede Panamazônica levará as obras de Morkazel, Paulo Santos, Tasso Sarraf e Lucivaldo Sena.

Os horários de visitação serão de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h e nos fins de semana, de 9h às 14h. O projeto permanecerá em cartaz até o dia 15 de abril.