Paulo José: o ímpar do cinema brasileiro

Dirigido por Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira, ‘Todos os Paulos do Mundo’ estreia, nesta quinta-feira, 10, em mais de 20 cidades brasileiras. O filme traz um panorama da trajetória do ator

Gabriel Machado/plus@diarioam.com.br

Manaus- Vinte e seis novelas, 18 minisséries e 50 filmes. Com este currículo, o ator Paulo José, 81, é tema do documentário ‘Todos os Paulos do Mundo’, que estreia, em mais de 20 cidades brasileiras, nesta quinta-feira, 10. Em Manaus, a produção — dirigida por Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira — será exibida no Cine Casarão, com horários a serem divulgados.

Ao todo, ‘Todos os Paulos do Mundo’ levou cerca de um ano para ser finalizado. (Foto: Divulgação)
O filme traz um panorama da trajetória do ator. Em entrevista ao PLUS, Gustavo falou sobre o início do projeto, que partiu de uma admiração pessoal pela carreira de Paulo José. “Eu e a Vania (Catani, produtora do documentário) somos apreciadores do Paulo. Na verdade, ela é muito amiga dele, quase que da família”, afirmou o cineasta. “Propus a Vania, então, que fizéssemos um filme sobre o ator, utilizando somente material de arquivos”, acrescentou.

A produtora apresentou o diretor a Rodrigo de Oliveira, outro entusiasta dos trabalhos de Paulo, e, juntos, os três começaram a mergulhar na extensa carreira do artista. “Além de contarmos com uma pesquisadora (para este trabalho), o Paulo cedeu acesso a todo o seu acervo, organizado e catalogado em sua casa. Houve, também, pesquisas feitas em museus, como o da Imagem e do Som, em São Paulo”, revelou Gustavo. “Quando chegamos a um corte, mostramos o material para o Paulo e, a partir daí, ele teve uma presença constante na edição, sugerindo algumas oportunidades e alterações”, completou.

Ao todo, ‘Todos os Paulos do Mundo’ levou cerca de um ano para ser finalizado. O documentário fez a sua estreia, em outubro de 2017, no Festival do Rio. Além do evento carioca, a produção passou, ainda, pela Mostra Internacional de Cinema de São Paulo; Panorama Internacional Coisa de Cinema, em Salvador; Mostra de Cinema de Tiradentes; e Festival de Havana. “Por onde passamos, as pessoas gostam muito do filme e saem tocadas e emocionadas. Elas também riem e se divertem, pois o documentário tem momentos engraçados”, pontuou Gustavo. “Tem gente que se emocionou somente com o trailer”.

Mesmo com a sua estreia nacional, ‘Todos os Paulos do Mundo’ pode, ainda, participar de outros festivais internacionais e brasileiros — em cidades que não receberem o seu lançamento, nesta quinta. “Nós queremos que o filme seja visto”, disparou o diretor. “O Paulo é o ator mais importante do cinema nacional, o mais presente e com mais constância nos últimos 50 anos. Ele é uma figura ímpar não somente na sociedade artística, mas, também, na brasileira. Mesmo aqueles que não associam o nome ao ator, quando mostramos uma foto do Paulo, automaticamente o reconhecem”, finalizou.