‘Tempo, memória e ondas sonoras’ traz música e poesia de Adelson Santos

Cantor, compositor e maestro amazonense se apresenta ao lado de Eliandra Carvalho, no Teatro Amazonas, no próximo sábado, em espetáculo minimalista

Com informações da assessoria

Manaus – A música e a poesia de Adelson Santos ganham o palco do Teatro Amazonas com o espetáculo ‘Tempo, memória e ondas sonoras’, marcado para este sábado (10), às 20h. Nele, o cantor, compositor e maestro, autor de composições como ‘Argumento (Não mate a mata)’ e ‘Dessana’, apresenta-se com a cantora Eliandra Carvalho num show reunindo canções antigas e inéditas, entremeadas com textos poéticos de seu novo livro, ‘Nas trincheiras da clorofila’. A entrada é gratuita.

No espetáculo, o público poderá conferir um apanhado da produção musical de Adelson Santos num repertório com 14 músicas. Aí estão desde canções célebres escritas a partir dos anos 1970, como ‘Sonhos de voar’, ‘Alma cabocla’, ‘Dessana’ e ‘Argumento’, até composições recentes e inéditas, entre elas ‘Origens’, ‘Vem brincar comigo’ e ‘Banzeiro’.

‘Tempo, memória e ondas sonoras’ traz música e poesia de Adelson Santos (Foto: Reprodução/Facebook)

Além de Adelson e Eliandra, cantando em solos e em duo, o segmento musical terá participações especiais da cantora Leka Denz; do percussionista Maurizio Torres, o ‘MauMao’; da pianista Evelyn e do Coro Dessana – formado por Aline Souza, Ana Dimitria, Larissa Monteiro, Nara Da Mata, Doany Bezerra, Alessandra Luiza e Bárbara Ribeiro.

“Será um show intimista e minimalista”, define Adelson, explicando que optou por uma apresentação com um número limitado de artistas, em vez de uma orquestra, no espetáculo que tem sua marca pessoal. “’Tempo, memória e ondas sonoras’ evoca o tempo que já vivi e a memória das coisas que passaram pela minha vida. As ‘ondas sonoras’ são as músicas, que refletem cada momento desse tempo”.

Poesia crítica

Entre uma canção e outra, o ator e poeta Dori Carvalho fará a leitura de trechos poéticos do livro ‘Nas trincheiras da clorofila – Onde os artistas morrem de solidão e tédio’, lançado no final do ano passado.

“São textos bem críticos sobre as conexões artísticas dos artistas no Amazonas e do que eles produzem”, explica Adelson. Na visão do músico, os artistas locais vivem ‘entrincheirados’ – daí o título de seu livro. “É difícil se afirmar aqui como artista, profissionalmente falando. Você faz shows, mas não ganha financeiramente bem para viver”.

Após a apresentação, exemplares dos livros de Adelson Santos e dos dois CDs gravados por ele ao lado da hoje extinta Orquestra Vozes da Ufam estarão à venda no hall do Teatro.

Adelson Santos

Adelson Santos é cantor, compositor, maestro e professor, com graduação em Música e pós-graduação em Educação Musical. Foi criador e regente da Orquestra de Violões do Amazonas e da Orquestra Vozes da Ufam. Atuou como diretor do Centro de Artes da Universidade Federal do Amazonas (Caua/Ufam) de 2008 a 2016.

Adelson tem quatro discos gravados, tendo feito também a direção musical, composição e arranjos do CD da Orquestra Vozes da Ufam. Também é autor dos livros “Composição & arranjo: Princípios básicos” (2010), “Música, profissão de risco – A dialética de uma visagem estética no reino da clorofila” (2012) e “Nas trincheiras da clorofila – Onde os artistas morrem de solidão e tédio” (2017).