Vinte e sete anos depois, em Derry

Novo longa baseado na obra ‘It’ surpreende público e crítica e supera o seu antecessor, o telefilme de 1990 ‘It - Uma Obra-Prima do Medo’. Produção deve quebrar recorde de bilheteria

Gabriel Machado/plus@diarioam.com.br

 

Manaus – Vinte sete anos depois da estreia do telefilme ‘It – Uma Obra-Prima do Medo’, o público regressou à fictícia cidade de Derry para conferir a nova adaptação da obra de Stephen King, desta vez, para os cinemas — lançada na última quinta-feira, 7. Intitulado ‘It – A Coisa’, o filme superou as expectativas de críticos e fãs e deve se tornar, neste domingo, 10, a maior bilheteria para o mês de setembro da história, nos Estados Unidos.

Interpretado por Bill Skarsgard, novo palhaço Pennywise está assustador, em ‘It – A Coisa’. Foto:Divulgação

Diferentemente da produção de 1990, a nova adaptação de ‘It’, comandada por Andy Muschietti (do elogiado ‘Mama’), não respeita por completo a ordem cronológica do livro original. Nela, acompanhamos os protagonistas Bill, Ben, Beverly, Richie, Mike, Eddie e Stan, ainda na infância, quando se deparam pela primeira vez com o personagem-título, materializado na forma do palhaço Pennywise — ou, em outras palavras, no pior pesadelo de qualquer criança.

Tanto no telefilme quanto na obra de King, a trama é dividida em duas linhas do tempo: o passado, quando é mostrado os integrantes do Clube dos Perdedores, ainda jovens; e o presente, exatos 27 anos após a primeira aparição da criatura sobrenatural, em Derry. Por conta destes cortes entre a infância e a fase adulta de seus personagens, ‘It – Uma Obra-Prima do Medo’ acaba perdendo muito em comparação à nova adaptação, principalmente quando os atores da fase adulta são contrapostos com suas versões mini. Apoiando-se nas questões de nostalgia e amizade, é muito mais divertido acompanhar os heróis como crianças.

E, neste quesito, Muschietti acerta em cheio. Com uma ‘pegada’ mais ‘Super 8’ e ‘Stranger Things’, o espectador não consegue fugir daquele saudosismo da época. Em determinado momento do filme, vemos um dos protagonistas jogando ‘Street Fighter’ em um fliperama, já noutro, nota-se que um dos longas da série ‘A Hora do Pesadelo’ está em exibição no cinema de Derry. Pequenos detalhes como estes, aliados a uma ambientação para ninguém botar defeito, já valem o ingresso para ‘It – A Coisa’.

Duelo de palhaços

Logo que foi anunciada a nova adaptação de ‘It’ para os cinemas, muito se especulou sobre quem daria vida ao aterrorizante palhaço Pennywise — interpretado com maestria por Tim Curry, no telefilme de 1990. O pouco conhecido Bill Skarsgard foi o escolhido e, como já era de se esperar, acabou sendo alvo de inúmeras críticas. Agora, com o lançamento da produção, muitos estão mordendo a língua: Skarsgard, de 27 anos, entrega um antagonista tão assustador quanto o imortalizado por Curry. A cena inicial do filme, que mostra o encontro do pequeno Georgie, irmão mais novo de um dos protagonistas, com o temível palhaço é de arrancar calafrios até dos mais corajosos.

Não que o Pennywise de 1990 não seja assustador, longe disso — quem nunca ‘tremeu’ somente com a capa de VHS do telefilme? —, mas o vilão de Skarsgard tem a vantagem de ter contado com um orçamento mais ‘rechonchudo’, além de artifícios digitais.