Arthur denuncia lavagem de dinheiro para facção criminosa a ministro Jungmann

O prefeito levou ao ministro a preocupação com os números de violência em Manaus. No encontro, Arthur também denunciou lavagem de dinheiro de 400 empresas para uma facção criminosa no Amazonas

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, recebeu na tarde desta sexta-feira (24), o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto. O prefeito levou ao ministro a preocupação com os números da violência em Manaus e, principalmente, dos crimes contra o serviço público municipal, que já somam 1.826 roubos e furtos a unidades de saúde, escolas, ônibus e outras repartições públicas municipais. No encontro, Arthur também denunciou lavagem de dinheiro de empresas para uma facção criminosa no Amazonas, notícia veiculada pelo ‘O Antagonista’.

No encontro, Arthur também denunciou lavagem de dinheiro de 400 empresas (Foto: Mário Oliveira/Semcom)

O prefeito também disse que o Governo do Amazonas ‘cruzou os braços’ diante do avanço de facções criminosas. Arthur relatou ao ministro que mais de 400 empresas no Estado lavam dinheiro para a facção criminosa Família do Norte. A reunião aconteceu na sede do Ministério da Segurança Pública e teve a participação dos secretários de Inteligência e de Segurança Pública. O ministro Raul Jungmann se comprometeu em enviar uma equipe para avaliar a situação em Manaus e no Estado do Amazonas.

“A reunião e o encontro com o ministro Raul Jungmann foram fraternos e expus o estado do meu Estado, que não tem governador que seja capaz de enfrentar esse drama da insegurança pública. Alguém tem que fazer e eu não vou ficar quieto. Tem gente que até se cumplicia com isso, por causa de eleições e tudo, mas eu não aceito essa situação e minha posição é clara há muito tempo. Sou muito afirmativo em relação a algo que tem a ver com o futuro dos nossos netos e com o futuro da nossa nacionalidade, da nossa cidadania”, afirmou o prefeito.

O ministro ouviu o prefeito e a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro sobre os problemas enfrentados em Manaus. Ele sugeriu algumas providências e colocou-se à disposição para colaborar. “O prefeito expôs os problemas que ele tem em Manaus com a segurança, sobretudo os assaltos que estão sendo feitos a prédios municipais. Esse é um quadro que preocupa e que tem preocupado o prefeito. Nós nos colocamos à disposição dele, inclusive, colocando uma equipe da Secretaria Nacional de Segurança para fazer um reconhecimento, fazer uma análise de risco e ver possibilidades para que nós possamos cooperar”, destacou Raul Jungmann.

Entre as alternativas para combater o crime em Manaus, o ministro sugeriu a parceria para melhoramento do sistema de vigilância por câmeras, a integração das câmeras com o sistema desenvolvido pela Polícia Rodoviária Federal, em parceria com uma universidade, e que permite o reconhecimento de pessoas e veículos que cometeram crimes. O treinamento e provimento de equipamentos para a Guarda Civil Metropolitana também foram soluções apresentadas pelo ministro.

O prefeito Arthur Virgílio também acatou a sugestão do ministro em promover a união dos governantes do Norte do País em torno da busca por soluções que minimizem a atuação das organizações criminosas. “Irei reunir todos os governadores e prefeitos, sobretudo das capitais, da Região Norte para se juntarem num esforço de denúncia, um esforço de enfrentamento, um esforço de não aceitação desse quadro de humilhação e de servidão a que querem submeter os brasileiros esses que são os barões do narcotráfico”, disse Arthur.

O prefeito de Manaus também lamentou o fato de não ter encontrado nenhum projeto do Governo do Amazonas no Ministério da Segurança. “Há uma requisição de munição e nada mais. Nada de preocupação efetiva com o narcotráfico que está tomando conta do meu Estado e que tomar conta do meu País”, finalizou.