Comissão do Senado inicia, nesta segunda, uma nova inspeção pela BR-319

Expedição vai verificar as obras de manutenção da rodovia, as condições no período das chuvas, além de avaliar as soluções para a pavimentação

Brasilia – A Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal inicia, hoje, nova diligência na BR-319, rodovia que liga Manaus (AM) a Porto Velho (RO), com o objetivo de verificar a situação da rodovia no inverno Amazônico, período de intensas chuvas na região.

“Vamos realizar a diligência neste período de chuvas para que seja possível a identificação dos locais de alagamento ou até bloqueio de passagem por conta das águas, e para mostrar como fica a rodovia e o escoamento da produção nessa época”, afirmou o senador Acir Gurgacz (PDT), que requisitou a diligência.

A retomada das obras de manutenção da BR-319 reacende o sonho de sua repavimentação (Foto: EBC)

Participam da diligência representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), da Polícia Rodoviária Federal e do Exército Brasileiro, além de representantes empresariais, comerciais e rurais.

Para o senador Acir, a diligência será mais uma oportunidade para se verificar as obras de manutenção da rodovia, as suas condições no período das chuvas, além de avaliar as soluções para a pavimentação do trecho do chamado ‘meião’ da rodovia, entre os quilômetros 405 ao 655.

As obras de manutenção na BR-319 foram retomadas em julho do ano passado após a decisão do presidente do Tribunal Regional Federal da Primeira Região, desembargador Hilton Queiroz, que suspendeu a liminar do juiz da 7ª Vara Federal do Amazonas embargando as obras de manutenção da rodovia.

A retomada das obras de manutenção da BR-319 reacende o sonho da repavimentação do trecho da rodovia, que estava abandonado há quase 30 anos. A discussão agora é sobre a retomada do processo de licenciamento ambiental para a reconstrução da rodovia, que poderá se transformar na primeira estrada-parque da Amazônia.

A BR-319 foi construída entre 1969 e 1976. Ela tem cerca de 900 quilômetros. Sua construção foi parte do esforço do governo federal de promover a integração da Amazônia brasileira ao território nacional.

Durante 15 anos, a rodovia foi uma importante rota de transporte entre o Amazonas e de Rondônia. A partir de 1990 a manutenção da rodovia foi abandonada, parte do asfalto de alguns trechos arrancado e pontes destruídas. A manutenção da rodovia foi iniciada em 2008, no entanto, as obras foram embarcadas diversas vezes por conta de questões ambientais levantadas pelo Ibama, pelo Ministério Público e por ONGs internacionais.

No primeiro semestre de 2017, as obras de manutenção da BR-319 foram embargadas pela Justiça Federal do Amazonas, atendendo ação movida pelo Ministério Público Federal. Em 2005, o Governo Federal anunciou a intenção de reconstruir a BR-319.