Confirmadas as candidaturas de Eduardo Braga e Amazonino para o governo do Amazonas

Marcelo Ramos será o vice do senador e Bosco Saraiva, o vice na chapa do ex-prefeito. Ainda nesta sexta-feira, os eleitores conhecerão os outros candidatos

Asafe Augusto e Álisson Castro/redacao@diarioam.com.br

A convenção ocorreu na quadra da Escola de Samba Unidos do Alvorada (Foto: Raquel Miranda)

Manaus – Estão sendo definidas, nesta sexta-feira (16), as candidaturas para a eleição suplementar para o governo do Amazonas, que será realizada no dia 6 de agosto. Até agora, já estão confirmados Eduardo Braga (PMDB), com Marcelo Ramos (PR) como vice, e Amazonino Mendes (PDT), tendo como vice Bosco Saraiva (PSDB).

Cerca de seis mil pessoas acompanharam a oficialização da chapa PMDB e PR, dos candidatos a governador e vice-governador, Eduardo Braga e Marcelo Ramos. A convenção ocorreu na quadra da Escola de Samba Unidos do Alvorada, situada na Avenida Prosamim, na manhã desta sexta-feira (16).

Estiveram presentes para prestar apoio à candidatura de Braga e Ramos os vereadores Marcel Alexandre (PMDB) e Reizo Castelo Branco (PTB). O deputado Federal Alfredo Nascimento (PR), o deputado Federal Sabino Castelo Branco (PTB), a deputada Estadual Alessandra Campelo (PMDB), a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), e Eron Bezerra (PCdoB).

A coligação para este pleito será formada por PMDB, PR, PTB, PCdoB, SOLIDARIEDADE.

O senador Eduardo Braga ressaltou os problemas ocorridos na última eleição, pois, de acordo com ele o pleito ocorrido em 2014 foi ganho com irregularidades.

“Ele (José Melo) roubou a esperança do amazonense. O Amazonas tem jeito, o que falta é governo. Vamos trabalhar para reestruturar o Estado. Existem pessoas que passam anos na fila. O governo não tem coragem de dar a atenção que as pessoas merecem. Isso é um problema na capital e interior”, disse.

Melo foi cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) por compra de votos.

O senador disse ainda que as diferenças políticas que ele tem com Marcelo Ramos não vão atrapalhar no trabalho. “O que nos une é vencer a crise, o desemprego, a falta de remédios nos hospitais”, disse.

O candidato a vice-governador, Marcelo Ramos disse que poderia ser candidato para marcar posição, mas, segundo ele, marcar posição não muda a vida das pessoas.

“Vivemos um grave momento de crise, com desemprego, os pais de família estão sofrendo. A nossa aliança não é da velha política dos conchavos. A lógica da nossa aliança é de quem abriu mão para que as pessoas tivessem uma melhor saúde, segurança e educação. Precisamos de um governo com energia e vigor”, comentou.

Amazonino

Amazonino chegou a sede do partido por volta de 11h e foi ovacionado pelos militantes do PDT e simpatizantes. O deputado estadual Bosco Saraiva (PSDB) será o candidato a vice na coligação que também contará com os partidos PSD, DEM, entre outros.

Em seu discurso, o ex-governador enalteceu as obras que fez quando governou o Amazonas.

O presidente estadual do PDT, deputado federal Hissa Abrahão, afirmou que o Estado precisa de um governador experiente. “Será um mandato de 12 meses. Deve ser alguém experiente, porque não podemos colocar alguém que fique três meses em adaptação. Tem que ser alguém que já saiba o que fazer”, afirmou Hissa.

Amazonino falou que a situação do país mostra a falência do política brasileira. “Aqui não é diferente. Quando nós deixamos o governo, deixamos as contas em dia. Hoje, quebraram o Estado, por isso, que o Negão deixou o pijama e veio para a luta”, afirmou.

Sobre sua idade, Amazonino brincou falando ‘não vou disputar maratona, vou governar’.

 

Cerca de seis