Daniela Assayag e Fabiano Bó confirmados no secretariado de Wilson Lima

O anúncio foi feito pelo governador eleito, nesta sexta-feira (23), durante solenidade, no Cindacta IV. A jornalista comandará a Secretaria de Comunicação do Estado e o coronel será titular da Casa Militar do Amazonas

Asafe Augusto / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O governador eleito, Jornalista Wilson Lima (PSC), anunciou, nesta sexta-feira (23), a jornalista Daniela Assayag como secretaria de Estado de Comunicação e o coronel Fabiano Bó como chefe da Casa Militar do Amazonas. O anuncio foi feito por Lima, no Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta IV), na Avenida do Turismo, bairro Tarumã, zona oeste da capital, onde acontece o 13º aniversário do Cindacta IV.

Wilson Lima ressaltou que esses nomes foram escolhidos por serem pessoas de sua confiança.”Daniela Assayag para Secretaria de Comunicação e o coronel Fabiano Bó para Casa Militar. São pessoas em que confio, pessoas que têm o devido comprometimento para tocar essas pastas. Estou conversando com outras pessoas que devem assumir outras pastas e vamos anunciar isso nos próximos dias”, afirmou.

Daniela Assayag e Fabiano Bó no secretariado de Wilson Lima (Foto: Reprodução)

O governador eleito não quis dar prazos para anunciar os demais secretários e falou com cautela sobre o assunto. “Não temos um prazo, mas estamos tratando disso, estamos conversando com setores e especialistas, avaliando o currículo dessas pessoas, para que possamos contar com elas nesse governo”, disse.

O jornalista destacou que busca pessoas que se encaixem em seus critérios. “Pessoas técnicas, gente qualificada para assumir esses cargos, pessoas em quem eu confio e que estejam comprometidas em fazer essa mudança que o Estado do Amazonas precisa”, comentou.

Segundo Lima, as escolhas não passam por indicações políticas e de grupos econômicos. “Estamos avaliando nomes, todos os dias, claro, naturalmente, chegam nomes, chegam pessoas que querem colaborar e a nossa indicação independe de indicação político-partidária, de grupos econômicos. Estamos levando em consideração aquilo que é melhor para cada pasta, aquilo que vai garantir a entrega do serviço eficiente para o cidadão,”, concluiu.