David Almeida demite quem não faz campanha para Rebecca Garcia, diz revista Veja

Segundo o documento formalizado no Ministério Público Federal, 47 funcionários foram demitidos por não aceitarem participar das caminhadas e ações de campanha da candidata

 

Funcionários fizeram denúncia contra o governador interino do Estado, David Almeida (Foto: Reinaldo Okita)

Manaus – O Ministério Público Federal (MPF) recebeu, na última semana, de pessoas que tiveram os nomes guardados por sigilo, uma denúncia eleitoral informando que a Superintendência Estadual de Habilitação (Suhab) está sendo usada pelo governo do Estado como cabide eleitoral para beneficiar a candidata Rebecca Garcia (PR). As informações foram divulgadas em reportagem da revista Veja.

A denúncia, que também foi encaminhada no Ministério Público Estadual (MP-AM), diz que 47 funcionários foram demitidos por não aceitarem participar das caminhadas e ações de campanha da candidata.

                                          A denúncia também foi encaminhada ao Ministério Público Estadual (Foto: Divulgação)

O documento com a denúncia, protocolado no último dia 11 deste mês, diz ainda que os cargos do órgão estão servindo como moeda de troca.

“As exonerações têm cunho político, eleitoreiro, dado que possivelmente estão sendo distribuídos cargos na Suhab, como moeda de troca, pois os indivíduos que foram colocada lá trabalharão na campanha eleitoral”, diz o documento.

A denúncia aponta que diversas pessoas ligadas a Igreja Assembleia de Deus estão sendo nomeadas, sendo pastores e os parentes deles.

“Consta que há servidores exonerados que estavam de licença maternidade e férias”, completa. Um dos principais alvos da denúncia é o superintendente do órgão, o tenente-coronel da Polícia Militar Nilson Cardoso, que foi nomeado pelo governador interino David Almeida (PSD), em junho deste ano.