Detran já pagou R$ 7,7 mi só neste ano para empresa fornecer CNH no Estado

A Thomas Greg & Sons recebeu, em 2018, R$ 4.807.579,44 em pagamentos deste ano e mais R$ 2.968.843,49 referentes a pagamentos do exercício anterior para entregar carteiras de habilitação

Álisson Castro

Manaus – A empresa Thomas Greg & Sons que confecciona Carteira Nacional de Habilitação para o Departamento de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) já recebeu, apenas em 2018, R$ 7,7 milhões para oferecer os serviços aos órgão. Os dados são do Portal da Transparência do governo do Estado.

A empresa recebeu, em 2018, R$ 4.807.579,44 em pagamentos deste ano e mais R$ 2.968.843,49 referentes a pagamentos do exercício anterior. Neste ano, julho tem sido o mês com o maior volume de recursos liberados, que somam R$ 1.885.181,24.

Detran pagará R$ 960.495,2 mensais por 12 meses para as carteiras e fotos digitais dos motoristas. (Foto: Sandro Pereira)

Na terça-feira (17), a REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC) publicou matéria informando que o Detran-AM vai pagar R$ 11 milhões à empresa Thomas Greg & Sons para fornecer CNH para os motoristas do Estado.

O termo aditivo é assinado pelo diretor-presidente do Detran-AM que determina a prorrogação do prazo de vigência do contrato original por mais 12 meses, bem como o aditivo de 6% do contrato, com valor global que soma R$ 11.525.942,52 sendo o valor mensal de R$ 960.495,21.

RDC apurou que o contrato firmado entre o Detran e a empresa estebelece o fornecimento de serviços de captura de imagem e assinatura digitalizada, bem como a confecção de CNHs, a autorização para estrangeiros conduzirem veículos no País com implantação de uma Central de Emissão de Documentos instalada na sede do Detran-AM.

Contestação

Em nota encaminhada à RDC, o Detran-AM informa não ser verdade que o contrato com a empresa Thomas Greg & Sons Gráfica e Serviços, Indústria e Comércio, Importação e Exportação de Equipamentos Ltda., celebrado em 2016, sofreu aditivo de R$ 11 milhões.

Segundo a nota do órgão, o aditivo concedido, em maio deste ano, foi de 6% do valor total do contrato, para prestação de serviços de captura de imagens e assinatura digitalizada, bem como, a confecção de Carteira Nacional de Habilitação (CNHs) e de autorizações ou permissões internacionais, o equivalente a aproximadamente R$ 650 mil, por ano, e não de R$ 11 milhões. Mensalmente, o valor do aditivo será cerca de R$ 54 mil.

Em outro trecho da nota, o órgão de trânsito afirma que o valor mensal do contrato, com o aditivo, passa a ser de R$ 960.495,21, ou seja, totalizando R$ 11,5 milhões no período total de 12 meses.