Empresários vão a ALE pedir suspensão de projeto de Melo que aumenta impostos

Foto: Sandro Pereira

Da Redação / portal@d24am.com

Manaus – Em reunião plenária na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), na manhã desta quarta-feira (15), lideranças empresariais da indústria e comércio pedem suspensão do projeto de Lei 26/2017, enviado pelo governador José Melo (Pros), que aumenta em 2% a cobrança do ICMS de uma série de produtos, entre eles a gasolina e o óleo diesel.

Os empresários reuniram com os deputados para fazer pressão contra o projeto. A maioria deles falou em desemprego e fechamento de empresas, caso o projeto seja aprovado.

Oito deputados afirmaram que vão votar contra o projeto: Alessandra Campêlo (PMDB), Vicente Lopes (PMDB), Wanderley Dallas (PMDB), Augusto Ferraz (DEM), Bosco Saraiva (PSDB), José Ricardo (PT), Luiz Castro (REDE), Dermilson Chagas (PEN) e Serafim Corrêa (PSB). A maioria de base governista não se pronunciou sobre o assunto.

Empresários conversaram com os deputados na manhã desta quarta-feira
Foto: Asafe Augusto

“Vocês estão gerando desemprego e pobreza. Vocês querem empurrar goela abaixo isso. Nós estamos produzindo e mais impostos não podem ser inseridos. Rejeitemos projeto”, disse Ezra Azuri, representante da CDL.

“Parece que o governo é nosso inimigo. Estamos trabalhando e gerando emprego e o governador está querendo tirar com impostos. Ele tem que incentivar a economia, pois o governo não está gerando nada”, disse a presidente da Associação Brasileira de Restaurantes e Hotelaria do Amazonas (Abrasel/AM), Lilian Guedes.

Confira ao vivo:

“Não haverá aumento na arrecadação. Isso é um tiro no pé”, disse Henock Luniere, presidente do Sindicato dos Atacadistas e representante da Federação do Comércio.

“O governador enviou um projeto que surpreendeu até alguns deputados da sua base. Ele está sendo assessorado da pior forma possível. As pessoas estão perdendo emprego e não estão recuperando. Isso é insano”, disse o deputado Luiz Castro (Rede).