Equipe de transição do Governo do AM formaliza nomes para áreas estratégicas

Os trabalhos de análise de contratos, despesas, receitas e projetos em andamento do Governo do Amazonas iniciaram nesta terça-feira (13)

Da redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A Comissão de Transição do governador eleito Wilson Lima formalizou, nesta terça-feira (13), na Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), os nomes que irão compor as subcomissões. Os trabalhos de análise de contratos, despesas, receitas e projetos em andamento do Governo do Amazonas iniciaram ontem. As equipes estão divididas em oito áreas estratégicas e devem fornecer as informações para as coordenações de transição até o dia 28 deste mês. O relatório final, com o levantamento de informações e diagnósticos da situação fiscal e orçamentária, será divulgado no dia 13 de dezembro deste ano.

O vice-governador eleito, Carlos Almeida, destaca que os diagnósticos fornecidos pelas subcomissões servirão de base para estruturar o futuro corpo do secretariado. “São oito subcomissões em áreas estratégicas e cada uma possui três representantes, mas isso não impede tanto por parte do governo eleito quanto da administração atual que haja consulta a diversos outros profissionais que possam colaborar com mais expertise técnica. O que precisamos dessas subcomissões é um diagnóstico de como está o Estado para que possamos encaminhar para o futuro secretariado as possíveis soluções”.

As equipes estão divididas em oito áreas estratégicas (Arte: Victor Costa)

As orientações específicas para os integrantes das subcomissões foram realizadas, na tarde desta terça-feira (13), na Sefaz pelo coordenador da comissão de Transição do governador eleito, Wilson Lima, o administrador, Humberto Laudares. “O primeiro passo será dividir os trabalhos nas grandes áreas que afetam os cidadãos e montar grupos de trabalhos para que possamos ter um diagnóstico claro dos problemas. A partir disso, vamos ter muita clareza sobre quais serão as principais medidas que o futuro governo poderá tomar nos primeiros 100 dias de gestão. Em outras palavras, teremos um ‘raio X’ do cenário estadual para os quatro anos de mandato”.

Carlos Almeida também explicou que, devido à impossibilidade de uma rotina diária no Estado, o ex-secretário de Educação de São Paulo Gabriel Chalita e o médico infectologista David Uip vão somente colaborar para aprimorar os trabalhos das subcomissões. “Precisamos de pessoas aqui para que possam circular nas unidades e, por conta dessa distância, eles vão dar opiniões para colaborar com o diagnóstico das subcomissões”.