Hissa Abraão diz que pretende incentivar autossuficiência econômica do País

Candidato ao Senado foi o segundo entrevistado na série do DEZ NA TV, nesta terça. Com registro de candidatura impugnada pelo MP Eleitoral, Hissa disse que já trabalha na defesa

Édria Caroline / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Trabalhar para incentivar a autossuficiência econômica do País é uma das principais propostas do candidato Hissa Abraão (PDT), que concorre à um das duas vagas do Amazonas ao Senado Federal, pela coligação ‘Eu Voto No Amazonas’. Hissa Abraão foi o segundo candidato a participar da série de entrevistas realizada pela REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC), no programa DEZ NA TV, da TV DIÁRIO/RECORD NEWS MANAUS, canal 36.1 da TV aberta, com os candidatos ao Senado.

Hissa Abraão (PDT) é um dos candidatos ao Senado pelo Amazonas (Foto: Eraldo Lopes)

Para Hissa, criar linhas de crédito para empresários de diferentes ramos pode ajudar não só o Amazonas, mas todo o País a sair do drama econômico em que vive atualmente.

Segundo o candidato, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDS) e a Caixa Econômica Federal, ligados ao Governo Federal, podem direcionar parte dos recursos para reindustrializar o País. “Aquele empresário que tem interesse em elevar a escala de produção da sua empresa em dotar a sua empresa com mais tecnologia ou de investir em outros mecanismo e até nos mecanismos de refino, ele vai ter a gilidade para poder resolver isso”, explica Hissa.

Sobre a Zona Franca de Manaus (ZFM), o candidato afirmou que é preciso primeiro fortalecer o crescimento econômico do País. “Eu tenho uma luta para que o Brasil cresça economicamente, para que, com isso, haja o incentivo ao consumo das famílias, que acarreta em oportunidades de em todo o quadro de empregos no país, inclusive na Zona Franca”, diz.

Para a educação, Hissa tem projetos para a integração das regiões no interior do Estado com a ‘Universidade do Madeira’. “Hoje nós temos, em alguns interiores, campus da UFAM. A minha proposta é criar uma universidade na região do Rio Madeira, para que ela atenda só os estudantes daquela calha”, explica o candidato.

Além desse projeto, Hissa quer trazer um programa do governo colombiano, onde estudantes de medicina são remunerados durante a residência, na finalização do curso. “Eles seriam remunerados para ir para o interior do estado e terem já esse contato com o povo, com a realidade da profissão”, afirma Hissa.

A BR-319 também foi um dos assuntos da entrevista, onde o candidato afirmou que também faz parte de suas propostas colocar a estrada para funcionar, de fato. “As estradas servem para o desenvolvimento necessário do país. Mas é preciso que se tire esse projetos do papel e colocar ela para funcionar, asfaltando e educando”, enfatiza.

Possível impugnação não preocupa

No último dia 19 de agosto o Ministério Público Eleitoral no Amazonas (MP Eleitoral) contestou o registro de candidatura de Hissa Abrahão. Em uma Ação de Impugnação enviada ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), o órgão afirma que o candidato está inelegível por ter tido as contas reprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), em 2013 e também em 2014.

Conforme o MP Eleitoral, o candidato está inelegível “porque, na condição de Secretário Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários, no exercício de 2013, e como Vice-Prefeito de Manaus, no exercício de 2014, teve suas contas rejeitadas pelo TCE/AM por irregularidades insanáveis que configuram ato doloso de improbidade administrativa, em decisão definitiva e irrecorrível daquela Corte”.

Hissa Abraão afirmou que a situação foi um “desencontro de informações” e que seus advogados já trabalham em sua defesa e que é algo “natural” durante uma eleição. “Meus advogados já estão informando ao Tribunal Regional Eleitoral e aí como é uma coisa natural eu não consigo ver problema nisso. Eu vejo isso como uma combinação de fatores. Aproveitaram uma situação jurídica minha para fazer disso uma perseguição política”, explica.

O candidato ainda afirma que não há possibilidade da impugnação da sua campanha por conta dessa ação ingressada pelo MP Eleitoral. “Estou tranquilo porque é uma situação muito simples de resolver. Primeiro que nem improbidade é, é por causa do INSS que era pra ter colocado um valor e colocaram outro, algo que eu não tinha nem controle quando eu era secretário. Então é algo que só foi gerado para desinformação, mas que estamos combatendo e resolvendo”, afirma Hissa Abraão.

O terceiro candidato a ser entrevistado no programa DEZ NA TV, nesta quarta-feira (29), é Luiz Fernando (PSOL), a partir das 11h, com transmissão pela TV DIÁRIO/RECORD NEWS MANAUS, pelo canal 36.1 da TV aberta, pelo Facebook e PORTAL D24AM.