Líder diz que o governador vai manter o aumento de impostos

Foto: Elisa Maia/ALE

Asafe Augusto / portald24am@gmail.com

Manaus – Mesmo após inúmeras reclamações  dos empresários e servidores públicos, o governador do Amazonas, José Melo (PROS), não recuará da minirreforma do Poder Executivo, enviada à Assembleia Legislativa do Estado (ALE), segundo informou, nessa terça-feira (21), o líder do governo na Casa, deputado Sabá Reis (PR). “O governo tem suas convicções. As matérias foram estudadas e agora é com os deputados. O governador não vai recuar nas matérias”, disse o deputado.

Entre as mensagens enviadas por Melo, entrará em pauta, hoje, o projeto de lei que aumenta em 2% a cobrança do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) a uma série de produtos, entre eles a gasolina e o óleo diesel.

Representantes da classe empresarial afirmam que o momento é de desemprego e recessão e que, por isso, aumentar impostos levará muitas empresas ao fechamento, gerando mais desemprego e mais miséria ao Estado.

Sabá Reis  disse, ainda, que não haverá mais nenhum diálogo do governo  com os empresários. Para uma discussão final entre deputados e empresários, Reis afirmou que o secretário de Estado da Fazenda, Jorge Jatahy, estará hoje na Assembleia.

 

Fundações de Saúde

Outra decisão da qual o governo não vai recuar, segundo o deputado,  é a que acaba com  a consulta feita aos servidores das fundações de saúde do Estado para escolha dos dirigentes, no caso, de seis unidades de Manaus. O governador quer, ele mesmo, fazer as escolhas.

Ontem, pelo menos, dez servidores da Fundação Alfredo da Mata se reuniram com Sabá Reis, o deputado de oposição Luiz Castro (Rede) e o presidente da Comissão de Saúde, deputado Dr. Gomes (PSD), para cobrar apoio dos contra a matéria.

No Artigo 13 da mensagem, o governador propõe a revogação das leis delegadas 106, 107, 108, 109, 110 e 111, todos de maio de 2007. O parágrafo único do Artigo diz  que, por causa das revogações, “os cargos de direção das Fundações de Saúde serão providos por livre escolha do governador do Estado”.

Com a medida, Melo fará a escolha, sem lista eleita pelos servidores, dos diretores-presidentes das fundações de Medicina Tropical (FMT), Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (FCecon), Alfredo da Matta, Hospital Adriano Jorge, Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS) e Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam).