Melo e Edilene deixam prisão para participar de primeira audiência na Justiça Federal

José Melo e Edilene Oliveira ainda buscam recursos no valor de R$ 190,8 mil, cada, para deixarem a prisão. O habeas corpus foi concedido na última terça-feira (17)

Jucélio Paiva / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O ex-governador cassado José Melo e a ex-primeira dama Edilene Oliveira deixaram o Centro de Detenção Provisória (CDP), na BR 174, na manhã desta segunda-feira (23), para participar da primeira audiência de instrução e julgamento, na sede da Justiça Federal do Amazonas, localizada no bairro Aleixo, zona centro-sul da capital. A informação foi confirmada pelo advogado do casal, José Carlos Cavancanti Junior.

O advogado José Carlos Cavalcanti voltou a dizer que o ex-governador José Melo e a mulher dele Edilene Oliveira ainda buscam recursos no valor de R$ 190,8 mil, cada, para deixarem a prisão. (Foto: Reprodução)

A assessoria de imprensa da Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP) confirmou a saída de Melo e Edilene. O ex-governador cassado e a ex-primeira dama foram presos em dezembro de 2017, e janeiro deste ano, respectivamente, durante desdobramento da operação “Maus Caminhos”, da Polícia Federal (PF), suspeitos de envolvimento na organização criminosa que desviou mais de R$ 110 milhões da saúde pública do Amazonas.

Melo está preso desde o dia 21 de dezembro de 2017, durante a operação ‘Estado de Emergência’, da Polícia Federal (PF). Ele está preso no CDPM 2. Já Edilene Oliveira, que também segue presa no CDPM, foi presa no dia 4 de janeiro deste ano, também, durante operação da PF. O advogado do ex-governador José Melo e da ex-primeira dama Edilene Oliveira não quis comentar sobre a audiência.

Habeas Corpus

O advogado José Carlos Cavalcanti voltou a dizer que José Melo e Edilene Oliveira ainda buscam recursos no valor de R$ 190,8 mil, cada, para deixarem a prisão. O habeas corpus foi concedido na última terça-feira (17), após decisão da 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), em Brasília. A defesa tenta reduzir o valor da fiança para conseguir a soltura do casal.