Melo mandou Radyr entregar R$ 500 mil, diz fundador do PROS

Governador, que teve o mandato cassado, presidente do PROS no Estado, repudiou as acusações de ex-dirigente: são uma tentativa “covarde de associar o seu nome a esquemas ilícitos”

Beatriz Gomes/Redacao@diarioam.com.br

Foto: Reprodução/TV Globo

Manaus – O fundador e ex-presidente de honra do Partido Republicano da Ordem Social (PROS), Henrique Pinto, disse, em entrevista exclusiva à reportagem da REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC), que recebeu R$ 500 mil do secretário-geral do PROS no Amazonas, Radyr Jr, para comprar o tempo de TV do partido na época das eleições, em 2014, para o então candidato à reeleição ao governo, José Melo.

Em entrevista gravada, por telefone, Henrique Pinto disse que recebeu o dinheiro, em espécie,  em setembro, no estacionamento do Tropical Hotel de Manaus. “Como o (Eurípedes) Junior (o presidente nacional do PROS) era candidato a deputado federal em Goiás, ele exigiu dele (José Melo) uma ajuda financeira de R$ 2 milhões para a campanha dele e o José Melo começou a enrolar para mandar esse dinheiro. Aí, o Junior pediu que eu fosse a Manaus tentar receber o valor. Eu fui a Manaus, fiquei 15 dias hospedado no Hotel Tropical e o Radyr (Jr.), que é secretário particular do José Melo, me deu R$ 500 mil no estacionamento do hotel Tropical. Aí, de Manaus mesmo, no dia 23 de setembro, eu depositei quase R$ 300 mil nas contas que ele (Eurípedes Jr) me passou”, disse Pinto.

Segundo Henrique Pinto, essa foi a única vez que ele, pessoalmente, participou desse tipo de tratativa que envolve José Melo. Mas ele afirmou que tanto Eurípedes Junior como Melo se encontraram em outras oportunidades. “Depois eu fiquei sabendo que o Eurípedes foi atrás de buscar o R$ 1,5 milhão que tava faltando. Ele foi a Manaus, encontrou com o José Melo e o José Melo, depois, veio a Brasília, encontrou com o Eurípedes Junior na sede do partido, aí eu acho que para pagar essa diferença, mas isso eu não posso afirmar“, disse.

Com o apoio, José Melo ficou com pouco mais de um minuto de tempo de propaganda do partido. “O PROS tinha um pouco mais de um minuto e é o nacional que decide se coloca a propaganda do Melo ou a nacional. Foi em cima disso que o Eurípedes negociou com ele (José Melo),  para  ele (Eurípedes) não criar dificuldade”, contou.

Sem influência

Segundo Henrique Pinto,  Melo não tinha muita influência dentro do partido e Henrique Oliveira é que deveria ter se filiado, na época de fundação do PROS. “Ele era apenas um governador filiado ao partido, em um Estado em que tivemos muitas assinaturas para a fundação do partido, mas quem era para entrar era o Henrique Oliveira, que desistiu e foi para o Solidariedade”, disse.

Henrique Pinto informou à revista Veja que o presidente do PROS, Eurípedes Junior, vendeu o tempo de TV do partido para a campanha de reeleição de Dilma Roussef (PT) e Michel Temer (PMDB), em 2014, além de campanhas de vários candidatos de outros Estados.