Melo reclama de condições de presídio construído em seu governo

Ex-governador cassado está preso desde o dia 4 no Centro de Detenção Provisória Masculino

Manaus – O ex-governador cassado José Melo, 72, em audiência de custódia, no último dia 26 de dezembro, reclamou das condições estruturais do Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM 2), local onde está preso desde o dia 4 de janeiro deste ano, após ter a prisão preventiva decretada. A unidade, inaugurada no dia 29 de setembro do ano passado, começou a ser construída no governo de José Melo. Ao todo foram gastos R$ 24 milhões na obra, sendo R$ 12,7 milhões de repasses do Governo Federal e R$ 11,5 milhões de recursos do Estado.

Apesar de o Estado oferecer alimentação regular aos presos que estão na unidade, Melo alegou na audiência de custódia que não consegue se alimentar e sente dificuldade para dormir.

(Foto: Sandro Pereira)

“Não é que minha alimentação não esteja lá, todo dia tem o café da manhã, o almoço. É que eu não consigo, eu fui tentar e vomitei tudo”, relatou.

Desde 2013, a GH Macário é a empresa responsável por fornecer as refeições para as unidades prisionais do interior, delegacias, para o semiaberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e semiaberto feminino. As refeições do CDPM 2, onde Melo está preso, é também fornecida por esta empresa contratada na gestão do ex-governador cassado.

No vídeo da audiência de custódia, Melo também fala sobre as condições do lugar onde está preso. Além de se queixar de não conseguir se alimentar regularmente, ele ainda reclama dos mosquitos e do colchão que, segundo ele, é muito duro.

“É muita carapanã. Todo dia tem que colocar muito Detefon para poder espantar. Não sei se por isso ou a situação emocional em que me encontro, eu não consigo dormir à noite. Estou há cinco noites sem dormir. Aí durante o dia eu durmo um pouco. Acho que é por causa do Detefon que fica ardendo meus olhos. Não sei se é isso ou é minha situação emocional, que esse episódio me abalou demais”, disse Melo reclamando, também, de dores na coluna.

Questionamentos

O juiz federal Ricardo Sales, que conduziu a audiência de custódia, chegou a perguntar ao ex-governador cassado se ele recebia atendimento médico na unidade prisional, apresentando preocupação com a idade de Melo. “Até pela sua idade, dá pra ver que o senhor está aparentemente depressivo”, disse o juiz.

Ao ser questionado sobre isso Melo respondeu dizendo que nunca apareceu nenhuma equipe médica ao local, mas que os diretores do presídio costumavam ir até a sua cela procurar saber como ele estava. Em depoimento o ex-governador confirmou perante o juiz que está bem de saúde.
“Eu sempre dizia que estava bem, porque eu estava”, respondeu para o juiz.

Nesta audiência de custódia, após ouvir o ex-governador José Melo, o juiz federal plantonista Ricardo Salles, decidiu converter a prisão temporária em domiciliar. Com a decisão proferida na noite do dia 26, Melo deixou a prisão logo pela manhã do dia 27 de dezembro. Após decisão, Melo passou nove dias cumprindo prisão domiciliar. No dia 4 de janeiro o ex-governador teve a prisão temporária convertida em preventiva e retornou a unidade prisional. Melo é acusado de envolvimento em um esquema que desviou mais de R$ 110 milhões da saúde.

Foto da prisão

No vídeo da audiência Melo contou, ainda, como aconteceu a sua prisão. Segundo ele, o tratamento foi respeitoso por parte dos servidores envolvidos na operação.

Melo ainda chegou a falar sobre as fotos que circulam na internet onde ele aparece sem camisa e com a placa de identificação. De acordo com ele, as imagens são verdadeiras, mas que em nenhum momento deu autorização para que fizessem o uso das mesmas para outros fins.

“Quando tiraram essa foto, pra mim, era para o processo. Eles anunciaram que era procedimento interno”, acrescentou.