MPC pede suspensão de gastos de R$ 1 milhão com artistas em Coari

Para a procuradora Elizângela Marinho, o prefeito Adail Filho quer fazer os gastos enquanto há falta de leitos no hospital e os salários estão atrasados

Álisson Castro

Manaus – O Ministério Público de Contas (MPC) ingressou, ontem, com uma representação para que a Prefeitura de Coari (a 363 quilômetros a oeste de Manaus) suspenda as contratações de artistas para se apresentar na 86º aniversário da cidade. As três contratações totalizam pagamentos de R$ 1 milhão aos artistas Marília Mendonça, Matheus e Kauan além de Léo Santana.

Marília Mendonça, Matheus e Kauan além de Léo Santana vão custar R$ 1 milhão em cachês para a prefeitura. (Foto: Divulgação)

Segundo a procuradora de contas Elizângela Lima Costa Marinho, a administração do prefeito Adail Filho (PP) pretende fazer estes gastos enquanto a população do município sofre com falta de leitos no hospital regional, ruas sem condições de tráfego e pagamento atrasado de salários.

Na representação, a procuradora anexou fotos da estrada que liga a Comunidade de Itapeua com carros atolados; da Rua Moisés Bezerra em que moradores plantaram árvores no meio do asfalto em forma e protesto pela condição da via; além de fotos de ruas centrais de Coari.

De acordo com o documento, apenas para a produtora e Marília Mendonça, a Sentimento Louco Produções Artísticas, a Prefeitura de Coari pretende pagar R$ 533,5 mil pela apresentação da cantora. Os gastos com a dupla Matheus e Kauan são de R$ 280 mil e com Léo Santana, R$ 220 mil.

Segundo a procuradora, em maio deste ano, o deputado estadual José Ricardo (PT) encaminhou ao órgão uma nota citando falta de leitos no hospital regional.

Em outro trecho da representação, o MPC cita processo em que o município de Coari é réu em caso de pagamentos de salários atrasados de dezembro de 2016 dos servidores municipais naquela cidade.

Por meio da assessoria de imprensa, a Prefeitura de Coari informou que o aniversário de Coari é a festividade cultural de maior importância e relevância para o município e, atualmente, a prefeitura é referência de gestão no Amazonas, está com o pagamento de todos os fornecedores em dia assim como todo o funcionalismo recebe em dia com data divulgada com antecedência.

“A contratação das atrações para o aniversário da cidade foram feitos com o devido planejamento, tanto é que parcelas do pagamento dessas atrações já foram feitas, o que permite com que não ocorra nenhum gargalo nas finanças. Isto se chama gestão, com planejamento e responsabilidade”, afirmou a prefeitura.

Denúncia

O prefeito de Coari, Adail Filho, protocolou, ontem, no Ministério Público do Amazonas (MP-AM), uma denúncia contra o promotor de Justiça do município, Weslei Machado, por crime de extorsão.

A medida foi tomada após o membro do Conselho de Cidadãos de Coari Raione Cabral Queiroz prestar depoimento ao Grupo de Atuação Especial de Repressãoao Crime Organizado (Gaeco) do MP, afirmando ter recebido proposta de emissário do prefeito para oferecer dinheiro ao promotor Weslei Machado para evitar ações contra a prefeitura.