New York Times trata crise brasileira e diz que Temer é ‘acusado de subornar’

'A crise girando ao redor o Sr. Temer, 76, indica um ponto crucial em um sistema político que já é marcado por uma turbulência notável', diz a reportagem

Estadão/Diário do Amazonas

Foto: Evaristo Sá/AFP

Nova York -O jornal The New York Times traz reportagem na edição desta sexta-feira na qual aponta o escândalo que envolve o presidente Michel Temer, cujo título é “Líder do Brasil, acusado de subornar, rejeita pedidos de renúncia.”

“A crise girando ao redor o Sr. Temer, 76, indica um ponto crucial em um sistema político que já é marcado por uma turbulência notável”, destaca o correspondente Simon Romero. Ele aponta que o presidente ascendeu ao cargo no ano passado depois de uma “luta de poder” na qual sua antecessora, a ex-presidente Dilma Rousseff, sofreu impeachment.

O artigo relata manifestação no facebook de Marina Silva, ex-candidata a presidente da República, onde disse que o País está em estado de choque e que o presidente Temer não tem mais condições de governar o Brasil.

A reportagem destaca pronunciamento do presidente feito ontem a tarde, no qual disse que “eu não vou renunciar” e “não comprei o silêncio de ninguém.” Mas a frase dita por Michel Temer é mais ampla. “Em nenhum momento, autorizei que pagasse a quem quer que seja para ficar calado. Não comprei o silêncio de ninguém. Por uma razão singelíssima, exata e precisamente por que não temo nenhuma delação”, disse.

Ao final do artigo, é citado um comentário do professor de ciência política da USP, José Álvaro Moyses, ao destacar que “no Brasil estamos vivendo o colapso do sistema político” e dos partidos que fazem parte deste sistema, um processo de mudança que não pode ser resolvido da noite para o dia.