Presidente municipal do PCdoB, morre após cirurgia de hérnia umbilical

O velório acontece na Funerária Canaã, na Rua Major Gabriel, e o enterro será às 16h, no Cemitério São João Batista

Asafe Augusto / portald24am@gmail.com

Foto: Divulgação

Manaus – O presidente municipal do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), professor Antônio Levino da Silva Neto, 55, morreu, na madrugada desta sexta-feira (21), após complicações em uma cirurgia de hérnia umbilical. A informação foi confirmada na rede social da filha de Levino, a universitária Ana Luiza.

O velório acontece na Funerária Canaã, na Rua Major Gabriel, na Praça 14, e o enterro será às 16h de hoje, no Cemitério São João Batista, na Avenida Boulevard Álvaro Maia, bairro Nossa Sra. das Graças.

Ainda em nota, a filha de Levino agradeceu as orações, pensamentos positivos e, segundo ela, todo o apoio que foi dado até o último momento.

“Deixou mulheres fortes que se orgulham e darão segmento ao seu legado. De suas filhas Ana Luiza e Ana Letícia e sua esposa Vanja, um ‘nós te amamos’ cheio de saudade. Vai com Deus, pai!”, publicou.

De acordo com Ana Luiza, Levino fez uma cirurgia de hérnia umbilical no último sábado (15) e, por causa de complicações no processo pós-operatório, teve que ser transferido para a UTI.

Na noite da última quarta feira, o quadro havia se agravado e ele teve que ser entubado. Levino tinha passado ainda por três procedimentos para tentar melhor quadro.

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) se manifestou em nota, afirmando que Levino era um amigo e companheiro de lutas por um Brasil mais justo e democrático.

“A vida política de Antônio Levino começou a ser desenhada desde muito jovem, quando ingressou no Curso de Medicina da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e no movimento estudantil, onde sempre lutou pela melhoria da qualidade da educação pública no País. Levino foi grande defensor e interlocutor das lutas dos trabalhadores por melhores salários e condições de trabalho”, disse Vanessa.

A senadora afirmou ainda que Levino construiu uma trajetória marcada por luta, desafios, superação e vitórias. Ela o qualificou como um intelectual e estrategista, com profunda consciência social e política. “Levino deixa um legado de exemplos para todos. Sua morte é uma perda irreparável para sua família, alunos, ex-alunos, pacientes, amigos e para o nosso partido”, concluiu a senadora.