Robério Braga e Eron Bezerra lideram lista com maior quantidade de contas reprovadas pelo TCE

Robério Braga e Eron Bezerra encabeçam a lista com 13 contas reprovadas pelo Tribunal de Contas. O TCE também divulgou lista de 20 nomes de gestores com maiores reprovações. Confira:

Asafe Augusto / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A presidente do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), conselheira Yara Lins dos Santos, entregou, nesta segunda-feira (26), ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM), desembargador Yedo Simões, e ao procurador-geral do Ministério Público Federal no Amazonas (MPF-AM), Edmilson Barreiros, uma lista com os nomes de 1.381 gestores da administração pública direta e indireta que tiveram as contas reprovadas nos últimos oito anos. Na ocasião, o órgão também divulgou lista de 20 nomes de gestores com maiores reprovações.

Na ocasião, o órgão também divulgou lista de 20 nomes de gestores com maiores reprovações (Foto: Divulgação/TCE)

Robério Braga e Eron Bezerra encabeçam a lista com 13 contas reprovadas pelo Tribunal de Contas, seguidos de Gedeão Amorim, Wilson Colares Costa, e Regina Fernandes do Nascimento, que tiveram 12 contas reprovadas. Com 11 reprovações estão na lista Paulo Cesar Fontes, Raimundo Wanderlan Penalber Sampaio, e Arlindo Junior. Celso Batista de Oliveira Filho e Antonio Gomes Ferreira aparecem com nove reprovações.

Maria das Graças Prola, Maria Barroso Costa, José de Oliveira Fernandes, Julio Cesar Soares da Silva, João Ferdinando Barreto e Iranildes Gonzaga Caldas aparecem na lista com oito reprovações cada. Com sete contas reprovadas, figuram na lista Edivaldo Silva Araújo, Miguel Capobianco Neto, Adail Alves Celestino e Raimundo Matias Barbosa.

Ficha Suja

Conforme a Lei da Ficha Limpa, o julgamento dos Tribunais de Contas é um dos critérios que a Justiça Eleitoral utiliza para decretar a inelegibilidade de possíveis candidatos, os quais não usaram bem o dinheiro público. A listagem entregue aos órgãos envolvidos no processo eleitoral ajudará a barrar candidaturas neste ano. A lista será inserida no Sistema SIS Contas Eleitoral e todos os órgãos envolvidos no processo eleitoral deste ano terão acesso aos nomes e, também, cópias dos processos.

Contas reprovadas

Um total de 1.381 gestores da administração pública direta e indireta que tiveram as contas reprovadas nos últimos oito anos, segundo levantamento do TCE. Deste total, 1.056 gestores ainda podem pedir recurso no TCE, outros 328 já tiveram o processo em trânsito e julgado.

Ao todo, são 453 contas de prefeitos; 218 de secretários; 204 de presidentes de Fundos, Federações e Institutos; 200 de presidentes de Câmara; 96 de presidentes; 95 de diretores do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE); 52 de diretores; 44 presidentes de Associação; 7 comandantes gerais; 3 de representantes; 2 vice-prefeitos; 1 sub-comandante; 1 sub-ouvidor geral; 1 reitor; 1 procurador geral; 1 procurador; 1 prefeito; e 1 coordenador.

De acordo com a conselheira, Yara Lins essa lista é pública, podendo ser encontrada no site da Corte de Contas, e será atualizada todo dia 25 de cada mês. “Esse é um dos critérios para tornar um candidato inelegível. Esses nomes vão entrar no sistema eleitoral onde cada procurador terá acesso, facilitando a ação da coletividade resultando em um maior controle social”, disse.

Top 20 de gestores com contas irregulares:

13. Roberio dos Santos Pereira Braga
13. Eronildo Braga Bezerra
12. Gedeão Timoteo Amorim
12. Wilson Colares da Costa
12. Regina Fernandes do Nascimento
11. Paulo Cesar Fontes
11. Raimundo Wanderlan Penalber Sampaio
11. Arlindo Pedro da Silva Júnior
9. Celso Batista de Oliveira Filho
9. Antonio Gomes Ferreira
8. Maria das Graças Soares Prola
8. Maria Barroso da Costa
8. Jose de Oliveira Fernandes
8. Julio Cesar Soares da Silva
8. João Ferdinando Barreto
8. Iranildes Gonzaga Caldas
7. Edivaldo Silva Araujo
7. Miguel Capobianco Neto
7. Adail Alves Celestino
7. Raimundo Matias Barbosa