Servidores federais definem ato contra medidas do presidente Michel Temer

Sindicato dos Servidores Públicos Federais do AM debate, nesta sexta-feira, as estratégias do movimento

Asafe Augusto / redacao@dirioam.com.br

Manaus – O Sindicato dos Servidores Públicos Federais do Amazonas (Sindsep-AM) se reúne com a categoria, nesta sexta-feira, para traçar estratégias para a paralisação geral do  próximo dia 10 de novembro contra as medidas do presidente da República, Michel Temer.

Ato contra Temer está previsto para o dia 10 de novembro (Foto: EBC)

O encontro acontece na véspera do Dia do Servidor. De acordo com o secretário-geral do Sindsep-AM, Walter Matos, não existem motivos para comemorar, mas de  unir a categoria contra as medidas propostas pelo governo federal. “Além de traçarmos estratégias de luta por nossos direitos, vamos fazer uma manhã de reflexões sobre os brutais ataques que a categoria tem sofrido nos últimos tempos”, disse.

Conforme o sindicalista, entre as principais pautas de discussão do dia estarão os impactos causados pela reforma trabalhista e a Lei da Terceirização sem limites que, a seu ver, impõe prejuízos aos trabalhadores.

“Não temos nada para comemorar. Temos sim, muito, pelo que lutar, pois não podemos ver parados conquistas históricas se esvaindo da noite para o dia enquanto o desmanche no setor público só avança”, disse.

De acordo com Matos, também estarão da pauta de debate o Programa de Demissão Voluntária (PDV), o aumento da contribuição dos servidores de 11% para 14%, a demissão de concursados e a suspensão dos acordos de reajustes firmados em 2015, além de outros de igual importância para a categoria.

O evento vai ocorrer a partir das 9h, simultaneamente, em órgãos do serviço público federal localizados na capital, entre eles o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Fundação Nacional do Índio (Funai), Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Ministério da Agricultura, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e Fundação Nacional de Saúde (Funasa). Estes três últimos recebendo também servidores da Comissão Executiva do Plano Lav Cacaueira (Ceplac), Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), além do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SFA), Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Ministério dos Transportes e Ministério da Saúde.