Tribunais vão gastar até R$ 4,18 milhões com viagens em 2019

O benefício 'auxílio-avião' mais robusto é conferido aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), onde o valor chega a R$ 53.835,56

Agência Estado / redacao@diarioam.com.br

São Paulo – Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e de três tribunais superiores – Superior Tribunal de Justiça (STJ), Superior Tribunal Militar (STM) e Tribunal Superior do Trabalho (TST) – vão ter à disposição R$ 4,18 milhões, ao longo de 2019, para custear despesas com passagens aéreas em viagens feitas dentro do território nacional.

A menor cota do ‘auxílio-avião’ desses tribunais é a do STM, que reserva R$ 25 mil por ano para os deslocamentos de seus ministros. Já o benefício mais robusto é conferido aos ministros do Supremo, onde o valor chega a R$ 53.835,56.

Supremo Tribunal Federal (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Dos tribunais superiores, o TSE é o único que não reserva uma cota anual para seus ministros viajarem pelo País. Na corte eleitoral, as passagens dependem de autorização da presidente, ministra Rosa Weber. No período, caíram 40,2%.

Os gastos do TST com passagens aéreas para seus ministros cresceram 25,2% no ano passado. O STJ também elevou suas despesas com ‘passagens e despesas com locomoção’ de ministros e servidores no mesmo período. Ao contrário do STF, os gastos do STM com passagens aéreas a seus ministros recuaram 65% em 2018.