Yedo Simões assume TJAM e promete realização de concurso público

Entre as metas de sua gestão no biênio 2018-2020, segundo o desembargador, está a realização de concurso público para o tribunal, investimento em sistema de informação e treinamento de servidores

Álisson Castro / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O novo presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador Yedo Simões, afirmou que entre as metas de sua gestão no biênio 2018-2020 está a realização de concurso público para o tribunal, investimento em sistema de informação e treinamento de servidores.

Segundo Simões, o corpo técnico do tribunal já estuda a realização do concurso público. A informação foi divulgada na tarde desta quarta feira (4), em entrevista coletiva antes da cerimônia de posse de Yedo Simões, além do novo vice-presidente Wellington José de Araújo e do novo Corregedor-geral do Tjam, Lafayette Carneiro Vieira.

“A ideia é substituir todos os servidores que não são efetivos por servidores concursados. Já estamos trabalhando no edital para daqui a alguns dias realizar o lançamento. Depois é partir para nossas metas, sabemos que as pessoas falam muito em celeridade. O TJAM alcançou o Selo Ouro do CNJ, o quarto lugar do país em termo de produtividade, mas sempre seremos cobrados”, disse.

Questionado sobre o déficit do sistema prisional, o novo presidente afirmou o sistema atual não é o ideal. “Não se pode combater a violência com violência. Temos que pensar também em resgatar as pessoas que estão lá. Eu acho que o sistema penitenciário é falho. Já caminhamos agora porque tínhamos um problema de desorganização do número de presos que tinha no sistema. Faltava, por exemplo, registrar o número de cumprimento de pena, o tempo de remissão, mas a presidência do desembargador Pascarelli interferiu nisto, e hoje o sistema já está funcionando a contento”, disse.

Simões afirmou que falta segurança dentro dos presídios para os trabalhadores do local e também para os presos. “O homem que está preso perde o seu maior patrimônio que é a liberdade. E ali não pode ser tratado como animal, tem que ser tratado dentro da lei e exigir que eles (presos) cumpram também a lei”, afirmou.

O desembargador Flávio Pascarelli, que deixa nesta quarta a presidência do TJAM, afirmou que se despede feliz porque deixa o cargo com resultados. “Tenho a certeza que o desembargador Yedo, que assume hoje, que demonstrou ser um grande administrador a frente do TRE, vai continuar este trabalho com muito mais sucesso ainda”, afirmou.

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, afirmou que tem uma boa relação institucional com o Tribunal de Justiça do Amazonas. A afirmação foi feita pouco antes da cerimônia de posse do novo presidente do TJAM, desembargador Yedo Simões.

“Institucionalmente é a melhor possível porque buscamos o entendimento sempre e o judiciário também, e vamos assim acertando os passos no que cabe aos interesses da cidade, a cidade que eu dirijo”, disse. Segundo Arthur, o novo presidente deve fazer uma gestão harmoniosa e visando o interesse da cidade. “Com certeza, irá olhar o interesse de cada pessoa porque cada pessoa tem um interesse a resguardar”, completou.

Para o prefeito, a boa relação institucional é essencial para sociedade. “O entendimento é essencial e a gente deve saber que uma coisa é o cidadão beltrano ou sicrano, outra é o prefeito da capital, governador do estado, o ministro, o presidente do Tribunal, estas pessoas têm que olhar o mundo enquanto estiverem investidas desta ônus, pelo ângulo do que estão representando naquele momento”, disse.