“Me identifico com a perseverança dele”, diz intérprete de Aldo nos cinemas

Manaus – Nesta quinta-feira, 16, as atenções estarão voltadas, mais uma vez, para José Aldo, mas não por revanches ou novas disputas de título. A cinebiografia do lutador amazonense, ‘Mais Forte que  o Mundo’, projeto encabeçado pelo cineasta Afonso Poyart (‘Dois Coelhos’), enfim, chega aos cinemas.

Foram cerca de quatro anos de desenvolvimento, desde a compra dos direitos pela Paris Filmes, em 2012. Entretanto, a produção passou por uma grande mudança, há pouco mais de um ano, quando Malvino Salvador, então protagonista do longa-metragem, saiu do projeto e José Loreto assumiu o papel.

Em entrevista ao PLUS, Loreto, que interpreta o irmão de Malvino, na novela das 20h da Globo, ‘Haja Coração’, viu a substituição como algo “comum”. “Nossas agendas mudam muito até a hora de realmente começar a filmar, e, às vezes, mesmo depois do início das filmagens. O projeto do filme com a escalação do Malvino era algo que deveria ter rolado há cerca de quatro anos, mas foi mudando, foi adiado e, quando me convidaram, tratei o assunto com a naturalidade que lhe é devida”, informou ele, que considerou o tempo como suficiente para se preparar.

E, para viver Aldo, o ator partiu do conhecimento básico que tinha da vida do esportista, bem como da forma como o via: uma referência como lutador. “Mas só quando recebi a missão de interpretá-lo que fui a fundo, e tive a oportunidade de conhecer e saber coisas que o público desconhece, até então. Espero que, agora, com o filme, todos possam conhecer melhor essa linda história”, comentou.

Questionado sobre o que mais lhe chamou a atenção na trajetória de Aldo, Loreto deixou o lado esportivo de lado e se apegou ao familiar. “A história inteira me comove, mas acho que o que mais me marcou foi a história dele com o pai, que é o grande vilão e o grande herói do Aldo. Nossos contextos de vida são diferentes, mas me identifico com a perseverança dele, com essa garra para não desistir de nada por mais que a situação seja difícil”.

Overdose de MMA
Apesar de acompanhar, com certa frequência, eventos de MMA, o também intérprete de Adônis, em ‘Haja Coração’, revelou que a preparação para o papel o fez tornar-se um “psicopata”. “Eu só assistia luta. Em casa, na rua… Se tinha alguma televisão ligada ou um celular, um tablet, lá estava eu, vendo alguma coisa relativa à MMA. Hoje, essa intensidade diminuiu, mas continuo muito fã e acompanho sempre que posso”, finalizou.