Acusados de estupro, boxeadores deixam a prisão no Rio de Janeiro

Estadão Conteúdo


Os boxeadores Hassan Saada e Jonas Junius, ambos acusados de cometer crime de estupro contra camareiras da Vila Olímpica, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, conseguiram habeas corpus e já deixaram a prisão, nesta quinta-feira (11).

Hassan Saada foi liberado por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), e a prisão foi substituída por medidas cautelares. A decisão do ministro Rogerio Schietti Cruz determina que o boxeador ‘não poderá frequentar a Vila Olímpica nem se aproximar das supostas vítimas ou das testemunhas do caso, não poderá deixar o Rio de Janeiro sem autorização judicial e terá de entregar o passaporte’.

De acordo com o ministro, não há necessidade de mantê-lo preso já que a periculosidade de Saada não teria sido comprovada.

Já o boxeador Jonas Junius teve a soltura determinada pelo Tribunal de Justiça do Rio, nesta quarta-feira, e já foi liberado. A determinação não o impede de competir nos Jogos Olímpicos. Essa decisão ficará a cargo do Comitê Olímpico Internacional (COI). A estreia dele na Olimpíada está marcada para o início desta noite.