Brasil dá sorte e cai no grupo mais fácil da Copa América

Sob os olhares atentos do técnico Tite, a cerimônia apontou Bolívia, Venezuela e Peru na chave do Brasil. A estreia, dia 14 de junho, no Morumbi, será diante dos bolivianos

Estadão Conteúdo / redacao@diarioam.com.br

Rio de Janeiro – A Seleção Brasileira deu sorte no sorteio da Copa América, realizado na noite desta quinta-feira (24) na Cidade das Artes, na zona oeste do Rio. Sob os olhares atentos do técnico Tite, a cerimônia apontou Bolívia, Venezuela e Peru na chave do Brasil. A estreia, dia 14 de junho, no Morumbi, será diante dos bolivianos.

Por ser o País-sede, o Brasil foi previamente colocado como cabeça de chave do Grupo A e já sabia o roteiro na competição. Faltava apenas a definição dos adversários. E, durante a cerimônia, coube ao colombiano Francisco Maturana definir quem será o adversário da Seleção na estreia: ele tirou a Bolívia do Pote 4.

Brasil dá sorte e cai no grupo mais fácil da Copa América. A estreia, dia 14 de junho, no Morumbi, será diante dos bolivianos. (Foto: Estadão)

A Argentina ficou no Grupo B, junto a Colômbia, Paraguai e Catar. Já a seleção uruguaia, outra cabeça de chave, disputará a primeira fase no Grupo C, considerado o mais difícil do torneio, ao lado de Equador, Japão e Chile.

A competição acontece entre 14 de junho e 7 de julho em cinco cidades do País. Caso se classifique em primeiro lugar no seu grupo e chegue à final, a Seleção Brasileira jogará em todas elas.

Na primeira fase, o Brasil fará duas partidas em São Paulo – contra a Bolívia, no Morumbi, e o Peru, na Arena Corinthians, dia 22 de junho – e uma em Salvador – diante da Venezuela, dia 18, na Arena Fonte Nova. Depois, jogaria na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, no Mineirão, em Belo Horizonte, e a grande final no Maracanã, no Rio.

Plateia

O sorteio da Copa América levou à Cidade das Artes cartolas de todos os 12 países que participarão da competição, mas chamou a atenção também de um público sem ligação direta com o futebol. O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), militares e até um assessor pessoal do presidente Jair Bolsonaro estavam na plateia. O presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Paulo Wanderley Teixeira, também ocupou um dos assentos do auditório.

A cerimônia durou uma hora e procurou ser descontraída, mas não faltaram clichês. O presidente da Conmebol, o paraguaio Alejandro Dominguez, discursou para dizer que a Copa América voltava para “a terra de Pelé”. E integrantes do Monobloco desceram as escadas em meio ao público tocando samba.

A anunciada “participação especial” de Ronaldinho aconteceu aos 15 minutos da cerimônia. Ele foi ao palco para apresentar a bola da Copa América, a Rabisco, produzida pela Nike. Segundo a empresa, a bola é inspirada “no estilo de jogo rabisqueiro e criativo dos brasileiros”. Ela tem cores fortes, que lembram a tinta spray usada por grafiteiros.

Confira os grupos da Copa América:

GRUPO A – Brasil, Bolívia, Venezuela e Peru

GRUPO B – Argentina, Colômbia, Paraguai e Catar

GRUPO C – Uruguai, Equador, Japão e Chile