Brasil experimenta a sua força sem Neymar

Com o atacante e maior estrela da Seleção Brasileira lesionado, Tite decidiu escalar Douglas Costa e Willian no trio da frente para o amistoso, hoje, diante da equipe anfitriã da Rússia

Agência Estado / redacao@diarioam.com.br

Moscou – Mostrar que é forte, independentemente de nomes. É isso que Tite espera da Seleção Brasileira no amistoso, hoje, às 12h (de Manaus) contra a Rússia, em Moscou. Na reta final para a Copa do Mundo, o desejo do treinador se explica: o time não terá sua estrela maior, o contundido Neymar. Ausência que abre chance aos jogadores, sobretudo os mais experientes, de assumirem a responsabilidade de conduzir o time.

Tite fez mudanças. Além de colocar Douglas Costa na vaga de Neymar, barrou Renato Augusto e escalou Willian. Na defesa, optou por Thiago Silva, pois Marquinhos não está bem fisicamente e será preservado para o amistoso de terça-feira contra a Alemanha, em Berlim.

Atacante da Juventus, Douglas Costa será o substituto de Neymar (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Ao mexer na frente, aproveitando Willian e Douglas Costa, Tite pretende deixar a Seleção mais ‘aguda’. Ele define os dois jogadores como ‘verticais e ofensivos’ e também com recursos para superar a defesa do time russo, esteja armada em linha de cinco ou de quatro jogadores.

“Na fase ofensiva é 4-3-3, sem abrir mão de ter meio-campo forte. O futebol passa pela imposição do meio-campo em sua capacidade criativa, lúdica e é um jogador que vai compor essa posição (de ajudar o setor)”, disse Tite sobre o esquema tático.

Ele quer Paulinho chegando na área, mas também ajudando Casemiro a marcar. Vai colocar Philippe Coutinho mais centralizado, Willian pela direita e Douglas Costa pela esquerda. “O Douglas Costa não vai substituir o Neymar, vai ser Douglas Costa. O Neymar é insubstituível”, afirmou.

A partida, hoje, vai ser disputada no Estádio Luzhniki, provavelmente sob temperatura negativa. O local será palco da decisão do Mundial da Rússia. Tite, que entre os argumentos para defender o amistoso contra a anfitriã, utilizou a importância de os jogadores sentirem o ‘clima de Copa’, admitiu querer mesmo voltar à arena em 15 de julho. “Quem é que não sonha? Todos da Copa do Mundo sonham estar aqui na final”, considerou.

A Seleção Brasileira vai estrear a camisa número dois que utilizará no Mundial, na cor azul. Meias e calções têm a mesma cor. O goleiro Alisson será o capitão, continuando o rodízio no posto idealizado por Tite. Ele será o 15º jogador a desempenhar este papel em 18 jogos sob o comando do treinador. A camisa número um, amarela, vai ser usada no jogo, da próxima terça-feira, com os alemães.

Tite convocou 25 jogadores para os amistosos contra russos e alemães. Quer observar o comportamento emocional e técnico, principalmente dos novatos. Isso visando à elaboração do grupo que levará ao Mundial. A convocação final será feita no início de maio. Tite já tem 16 nomes definidos e admite dificuldades para fechar a relação de 23 atletas. “O que mais me pressiona é poder olhar todo mundo e ser justo”, justificou.