Brasil pega Sérvia em clima de ‘mata-mata’

Para se garantir nas oitavas de final, equipe canarinho precisa ao menos empatar, nesta quarta-feira (27), à tarde, diante da seleção europeia, que é forte nas jogadas aéreas. Tite manterá o quarteto ofensivo

Agência Estado

Moscou – O Brasil joga, nesta quarta-feira (27), a sua permanência na Copa do Mundo da Rússia, em 90 minutos. Com quatro pontos, o time precisa ao menos do empate contra a Sérvia para se classificar às oitavas de final e continuar vivo na competição. Depois de 24 jogos no comando do Brasil, o técnico Tite tem o seu primeiro mata-mata antecipado. A partida pelo Grupo E, que começa às 14h (de Manaus), no Spartak Stadium, em Moscou, encerra a participação da seleção na fase de grupos. Só há dois caminhos: seguir na disputa ou voltar cedo para casa. Desde o Mundial de 1966, na Inglaterra, o país não caiu nesta fase.

Time da Seleção Brasileira será o mesmo que derrotou a Costa Rica (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

É, portanto, um jogo eliminatório. E talvez com sofrimento dada as apresentações das duas partidas anteriores de Neymar e companhia – 1 a 1 contra a Suíça e 2 a 0 na Costa Rica. O Brasil e os suíços têm quatro pontos cada. A Sérvia, três pontos.

A possibilidade do Brasil ser eliminado existe e Tite não ignora o fato da Sérvia se transformar no seu novo Deportes Tolima – em 2011, o modesto clube da Colômbia eliminou o Corinthians que ele dirigia na fase preliminar da Copa Libertadores. Mas, Tite está confiante e credita isso à evolução de rendimento que diz ter percebido do jogo contra a Suíça para a partida diante da Costa Rica.

Para assegurar o primeiro lugar na chave em caso de empate, Tite terá de contar com tropeço da Suíça para a Costa Rica ou se valer do saldo de gols caso os europeus ganhem da equipe centro-americana. Esse raciocínio vale também para o caso dos dois últimos jogos do Grupo E terminarem empatados. E, se a Seleção perder, só se classifica se os costarriquenhos ganharem dos suíços por placar mais dilatado do que o tropeço brasileiro.

Matemática à parte, para Tite a equipe está preparada técnica e psicologicamente para este ‘mata-mata’. “Essa equipe está calejada suficiente para jogos importantes”, disse o treinador. Essa confiança o fez manter o time, mesmo após testar opções nos últimos treinos – como Fernandinho no lugar de Gabriel Jesus e o deslocamento de Neymar para o comando do ataque. O histórico dos atletas o levou a preservá-los, inclusive, os que não estão bem em campo, como Willian e Paulinho.

O experiente zagueiro Miranda, de 33 anos, vestirá a braçadeira de capitão pela quarta vez com Tite. O treinador observa vários pontos positivos na Sérvia. O que mais incomoda é a força pelo alto, natural, até porque a equipe europeia tem média de altura dez centímetros maior que a brasileira e, além disso, quatro dos seis gols tomados pela Seleção desde que o técnico assumiu foram de cabeça.

Tite assegura que o Brasil está preparado para neutralizar essa arma. Confia no poder defensivo do time, acredita que Neymar continuará o seu processo de evolução e que o time fará por merecer seguir em frente.