Caçula vai à final e se garante na Série D

Com o empate em 1 a 1, na Arena da Amazônia sem torcida, o Manaus FC se classificou, pela primeira vez, à final do Campeonato Amazonense, para enfrentar o Nacional

Thiago Fernando/redacao@diarioam.com.br

Arena Sem Torcida Jogadores do Manaus celebraram a conquista da vaga na final. Foto: Eraldo Lopes

Manaus – A vantagem obtida no primeiro jogo da semifinal foi fundamental para que o Manaus FC conquistasse a vaga inédita para a final do Campeonato Amazonense. Até mesmo uma derrota por um gol de diferença colocava o time do técnico Aderbal Lana na decisão. Logo, o empate em 1 a 1, com gols de Hamilton e Léo Guerreiro, na Arena da Amazônia vazia (por conta de uma punição, o duelo não teve presença de torcida), foi mais do que suficiente.

Além de ter a chance de conquistar o primeiro título estadual da história, o caçula do futebol amazonense garantiu presença na Série D do Campeonato Brasileiro e na Copa do Brasil do ano que vem.

O Gavião usou o ponto forte, a jogada aérea, e abriu o placar, aos 12 minutos, com Hamilton, de bicicleta. A jogada começou com escanteio cobrado por Netinho. A bola chegou a Deurick, que cabeceou no travessão. No rebote, a bola parou em Hamilton.

Para se manter vivo no campeonato, o Fast precisava virar o duelo e vencer por dois gols de diferença. Apesar disso, até os 30 minutos, o Rolo Compressor não levou perigo ao gol defendido por Jonathan. A primeira chance de marcar veio aos 32 minutos, quando o zagueiro Romário completou cruzamento de Robinho, por cima da meta do Gavião.

Graças à saída de bola errada da defesa do Manaus, o Fast igualou o placar, aos 36 minutos, com o centroavante Léo Guerreiro. O camisa 9 recebeu de Felipe e tocou na saída do goleiro adversário.

Na volta do segundo tempo, os dois times produziram poucas chances de gol e o Manaus FC soube administrar e assegurar a classificação.

Empolgado com a classificação, o técnico Aderbal Lana afirmou que o time será campeão amazonense diante do Nacional. “Tivemos tranquilidade para trabalhar e conseguimos colocar mais um time na final. Deve ser a 30ª vez que coloco um time na final. Agora, vou ganhar. Pode escrever aí. Vou ser campeão. O Manaus na final é a redenção do futebol amazonense. Um clube novo, que tem credibilidade”, disse Lana.

Sem calendário garantido para 2018, o técnico Donmarques afirmou que o resultado não atrapalha o planejamento da direção e que o foco do Tricolor está na disputa da Série D. “Não conseguimos superar a retranca deles. Agora, vamos focar na Série D. Estamos na liderança e vamos buscar a C. Ano que vem é outra questão. Já ficamos foras outros anos. Não é nada estranho. Isso faz parte e temos que levantar a cabeça. Nossas atenções estão na Série D”, concluiu.

Resta ao Rolo Compressor a sequência da Série D do Campeonato Brasileiro e a disputa de terceiro lugar do Estadual, contra o Princesa, na partida preliminar do jogo de volta da final, para definição de qual time ficará com a segunda vaga do Amazonas na Copa Verde – a outra vaga será do campeão estadual.